Realidade virtual para uma medicina melhor


A leitura vai levar 1 minutes

Christian Díaz criou uma plataforma de realidade virtual que permite aos profissionais e estudantes de medicina formarem suas habilidades técnicas.


Até pouco tempo atrás, concebia-se a realidade virtual (RV) como um novo meio audiovisual que chegava para revolucionar o entretenimento. Paralelamente a este desenvolvimento, surgiram outros usos para a RV, como sua aplicação na formação. O engenheiro biomédico colombiano Christian Díaz trabalha criando espaços virtuais que permitam aos médicos e estudantes de medicina formar-se em um ambiente seguro.

A Sim Design Colômbia, empresa de Christian que é fruto da colaboração entre a Universidade EAFIT, a Universidade CES e o Hospital Pablo Tobón Uribe, está focada na criação de simuladores de treinamento para profissionais da saúde. Em um ambiente virtual e seguro, os trabalhadores podem aprender as últimas técnicas de cirurgia. Atualmente, sua empresa oferece simuladores para laparoscopias e intubações, embora estejam trabalhando na criação de um dispositivo médico para ser utilizado em traumatismos.

Para este jovem engenheiro, a RV “permite às pessoas formar-se de maneira adequada em cenários poucos acessíveis”. Ele se especializou no campo médico, mas enxerga o potencial desta tecnologia para profissionais que também trabalham com elementos perigosos, como é o caso dos explosivos. “À medida que avancem as tecnologias usadas para enganar os sentidos do ser humano, seu uso será mais popular em outros campos”, ele garante.

Embora estes tipos de ferramentas não possam substituir totalmente a prática real, Christian Díaz enxerga um grande potencial para aprender certos processos: “Os profissionais com os quais trabalhamos dizem que são mais do que suficientes para treinar certas habilidades cognitivas ou motoras.”

Além disso, é uma boa ferramenta para que profissionais que estejam em diferentes latitudes possam aprender técnicas parecidas. Por exemplo: um profissional da América Latina pode aprender com um médico da Europa, e vice-versa. Neste sentido, o equipamento de Christian Díaz inclui uma função pouco comum: adapta-se às diferentes velocidades de internet dos usuários que estejam conectados a cada momento. Desta forma, os especialistas podem continuar trabalhando em paralelo, sem preocupar-se com bloqueios da rede.

Este jovem colombiano, reconhecido como um dos Inovadores menores de 35 Colômbia 2016 pela MIT Technology Review em espanhol, considera que “estas tecnologias vão vencer a diferença entre treinar no mundo virtual e no mundo real: e isto é um bom significado do que implica o progresso”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar