The Daily Prosper
 Voluntariado empresarial: ajudar desde o âmbito profissional

Voluntariado empresarial: ajudar desde o âmbito profissional

A produção de benefícios sociais e ambientais a partir do desenvolvimento de estratégias de voluntariado corporativo é algo cada vez mais presente nas empresas.


As empresas estão se esforçando na implementação de planos para que seus funcionários participem de atividades sociais promovidas pela própria companhia. Em paralelo, os trabalhadores são cada vez mais conscientes do assunto. De qualquer forma, apesar dessa conjuntura e das atividades praticadas por várias empresas, um estudo recente da Adecco mostra que apenas 20% dos trabalhadores participam das ações de voluntariado corporativo promovidas por suas empresas.

Um fato adicional importante é que, de acordo com um estudo do IESE Business School, as maiores empresas são as mais envolvidas em programas de voluntariado – a tal ponto de que três de quatro têm mais de 500 funcionários envolvidos nessa atividade.

Em geral, devemos saber que este tipo de programa é proposto pela empresa e administrado por uma ONG, e significa um custo para a empresa de entre 200 e 500 euros por empregado anualmente. Segundo o estudo mencionado, cada vez mais trabalhadores estão solicitando esse tipo de atividade ou pensam nela no momento de permanecer ou aceitar um emprego, sendo um fator essencial na hora de reter talentos.

A responsabilidade social corporativa e, em particular, o voluntariado têm uma presença crescente nas empresas, o que significa transferir para a sociedade a imagem positiva de que elas não apenas buscam um objetivo econômico, mas também se comprometem com causas solidárias para ajudar os coletivos em situação de vulnerabilidade ou criam ações para proteger o meio ambiente.

Em muitos casos, essas estratégias harmonizam os elementos da ação social com a gestão de recursos humanos e, muitas vezes, estão alinhadas com a cultura e os valores da organização.
 

TENDÊNCIAS

O voluntariado corporativo faz parte de um contexto em que o trabalho das empresas está cada vez mais vinculado a conceitos como responsabilidade social, cuidado com o meio ambiente, preservação dos recursos e desenvolvimento comunitário. Hoje em dia, ninguém duvida que para realizar estes tipos de causas solidárias é necessária a colaboração dos trabalhadores.

De acordo com fontes do Banco Santander, o compromisso empresarial vai além das contribuições econômicas e, no seu caso específico, destaca a dedicação, energia e tempo dos funcionários do banco, que em 2016 ajudaram mais de 260 mil pessoas. O Santander inclui entre seus objetivos estratégicos o compromisso de ajudar as comunidades com programas locais e promover a participação dos funcionários. Somente em 2017, foi registrada a participação de 23 mil trabalhadores em iniciativas de voluntariado presencial e mais de 153 mil horas dedicadas. O trabalho desses funcionários, juntamente com os 54 milhões de euros que a entidade investiu em programas sociais, ajudou 2,1 milhões de pessoas.

É preciso observar que, de uma forma global, a maioria dos planos de voluntariado está focada no campo profissional. Nesse sentido, 60% das medidas implementadas são para melhorar a empregabilidade de grupos desfavorecidos (vítimas de violência de gênero, pessoas em centros penitenciários, jovens em risco de exclusão social, entre outros); 20% são destinados às crianças, enquanto o 20% restante é para as pessoas com deficiência.
 

BENEFÍCIOS

Como aponta o Observatório de Voluntariado Corporativo, promovido pela ONG Cooperación Internacional, uma “implementação adequada de programas de voluntariado traz claros benefícios para a sociedade, mas também é muito rentável para a empresa”.

A política correta de voluntariado é uma grande vantagem para todas as partes interessadas e sua implementação proporciona benefícios não só para a sociedade, mas também para a empresa – ao envolver os trabalhadores em causas solidárias, que, posteriormente, significa a potencialização do sentimento de pertencimento e o comprometimento do funcionário com a empresa.

Outro aspecto benéfico vem da melhoria da comunicação interna, assim como a promoção de novas competências entre os trabalhadores, como habilidades de liderança e trabalho em equipe.

Vale destacar também que, a partir do voluntariado, os funcionários obtêm uma visão global da empresa e, finalmente, a possibilidade de difusão nos meios de comunicação e melhoria da imagem corporativa.

Da mesma forma, o Observatório afirma que “se as ONGs e empresas trabalham com profissionalismo, o voluntariado corporativo deixará de ser um modismo para ser um instrumento social e uma ferramenta de negócios”.
 

INCENTIVOS

Um estudo da Deloitte salienta nas suas conclusões que o voluntariado corporativo bem compreendido e administrado pode ser muito mais do que excelente e se tornar uma iniciativa estratégica. É uma ótima maneira de canalizar a energia e o potencial dos trabalhadores para provocar uma mudança significativa na sociedade.

Como a empresa pode incentivar a participação dos trabalhadores?

  1. É uma boa opção propor aos funcionários questões em áreas como educação, acompanhamento, mão-de-obra e ativação física, que, dada a experiência de outras empresas, são muito procuradas. Ao contar com várias opções, é mais fácil aumentar a partição.
     
  2. Aumentando a margem de autonomia: que os próprios voluntários tenham mais liberdade para propor ideias ou apresentar colaborações. Trata-se de um elemento fundamental para o programa de voluntariado.
     
  3. Se as empresas promovem as ações de voluntariado durante o período de trabalho, é possível que os profissionais se vejam mais animados, especialmente os millennials.

Do lado dos funcionários, são dadas as seguintes razões para a participação em programas de voluntariado: incentiva a confraternização, envolve os trabalhadores com a causa, aprendem mais sobre o que significa ser socialmente responsável, tornam-se mais consciente de suas ações e do impacto que elas têm no planeta e na comunidade.
 

O BENEFÍCIO PARA A SOCIEDADE

O Banco Santander na Espanha também promove uma convocação anual de projetos sociais que permite aos funcionários do grupo apresentar trabalhos que visem melhorar a qualidade de vida das pessoas em situação de vulnerabilidade social. Os trabalhadores são os verdadeiros protagonistas dessa iniciativa – são eles que propõem as organizações e os projetos, e que votam nos projetos vencedores.

Além disso, os projetos vencedores são financiados graças às contribuições mensais que os funcionários destinam ao Fundo “EUROS DE TU NÓMINA”, a partir de 1 euro e que o banco subsequentemente iguala. Quase 3 mil funcionários participam atualmente desse fundo. Por causa desta iniciativa, todos os anos 10 organizações podem realizar seus projetos.