The Daily Prosper
Volver a trabajar después de ser víctima de violencia de género

Voltar ao trabalho depois de ser vítima da violência de gênero

É essencial que as mulheres que sofreram agressões voltem ao mundo do trabalho. Em muitas ocasiões, é preciso ajudá-las a dar o passo.


violência de gênero é uma das grandes preocupações da sociedade e temos a obrigação de combatê-la. Há algo que muitas vezes passa despercebido: uma mulher que sofreu ameaças e agressões contínuas se sente insegura depois de ter rompido o relacionamento com o homem que a maltratou. Elas sentem medo e precisam começar uma nova vida.

As mulheres vítimas de violência machista estão em situação de vulnerabilidade. Costumam não ter fonte de renda e têm filhos. Por esta razão, é importante que um futuro seja construído no mercado de trabalho.

Lei sobre Medidas de Proteção Integral contra a Violência de Gênero destaca as necessidades especiais das mulheres agredidas e estabelece uma ajuda econômica para que possam tentar seguir adiante. Instituições, empresas e entidades sociais promovem projetos que lhes permitem buscar emprego.

Além de proporcionar-lhes independência econômica, as vítimas se afastam do ambiente de abuso e estabelecem outros laços sociais. Sentir-se valorizada e ganhar seu próprio dinheiro é vital para que recuperem sua autoestima.

Iniciativas

O Estado, por meio do Instituto da Mulher, promove, há anos, a iniciativa "Empresas por uma sociedade livre da violência de gênero". O plano estabelece diferentes acordos com empresas que ajudam a integrar as mulheres agredidas ao mercado de trabalho. Por enquanto, quase 90 empresas aderiram ao projeto.

Cruz Roja e a Fundação Integra atuam como intermediárias no programa. Elas analisam caso a caso e preparam as mulheres para ter acesso a um emprego.

Existem também iniciativas privadas. É o caso de "De mulher para mulher" do Banco Santander. Quinze profissionais da entidade, presidida por Ana Botín, orientam e acompanham 15 vítimas. O projeto está passando por sua segunda edição e mais da metade dos participantes encontrou emprego.

Formas de violência de gênero

Os especialistas identificam sete tipos de comportamento:

1. Física: Causa ferimentos, traumas e pode causar a morte.

2. Psicológica: Ameaças, desprezo, humilhações.

3. Sexual: Estupro, assédio e prostituição forçada.

4. Econômica: TTirar recursos da mulher e dos seus filhos.

5.Patrimonial: Destruir algumas de suas posses para prejudicá-la psicologicamente.

6. Social: Controla-la e isola-la.

7. Vicária: Ameaçar as crianças para afetar a mulher.

Além disso, instituições e grupos sociais alertam sobre o aumento da violência de gênero entre adolescentes e anunciam outra realidade: a agressão não ocorre apenas no ambiente do casal, ela está presente em toda a sociedade.