The Daily Prosper
A tradição da noite de São João ao redor do mundo

A tradição da noite de São João ao redor do mundo

A noite de São João é uma das festividades mais célebres do mundo, pela sua magia e pelo grande número de seguidores que ganha ano após ano. Trata-se de uma comemoração de origem pagã que, após a chegada do cristianismo, deixou de lado a suposta heresia e passou a homenagear a chegada do filho de Zacarias, uma das passagens mais conhecidas dos escritos sagrados.


Uma noite mágica em que o ar é impregnado com o cheiro de lenha e o sussurro de milhares de vozes pedindo que seus desejos sem cumpridos. O sagrado se confunde com o profano, apesar da carga religiosa que tem a festa da noite de São João.

O ritual pagão, a parte supostamente infiel dessa comemoração, refere-se a um romance entre o Sol e a Terra. A cada dia 23 de junho os amantes se despediam, enquanto os mortais davam as boas-vindas ao solstício de verão no Hemisfério Norte. Faziam um desejo, acendiam uma fogueira para purificar e dançavam até o dia raiar.

No entanto, com a chegada do cristianismo, a celebração desta noite mágica de São João se transformou em uma festa muito mais piedosa. De acordo com o Evangelho, nessa noite de junho, Zacarias, servo do templo de Jerusalém, viu seu filho nascer, “o profeta do Altíssimo”, João Batista – apesar de sua esposa, Isabel, ter sido impedida pela maternidade. O pai, alegre, mandou acender uma fogueira para celebrar a chegada do “último profeta” e anunciar a chegada aos seus familiares.

Seja como for, sagrada ou profana, a festa é esperada com expectativa por seus seguidores, que abraçam a amizade e aguardam as boas novas. Durante essa noite, a mais curta do ano no Hemisfério Norte, os habitantes de várias partes do mundo esperam que o fogo leve o mal e traga o bem. Desejos são pedidos e a superstição é cumprida para que a sorte esteja viva até o ano seguinte.
 

Uma noite que leva o mal e traz o bem

A celebração é internacional, embora cada região tenha suas particularidades. Uma das tradições mais curiosas é a do Porto (Portugal). Na cidade vinícola mais famosa do mundo, são preparadas várias atividades nas ruas para desfrutar de boa comida e buscar boa sorte. Milhares de pessoas saem para dançar e ver os fogos de artifício na Ponte Dom Luís.

Claro, todo mundo carrega um acessório indispensável dessa noite: martelos de brinquedo para bater uns nos outros e despertar os bons presságios. É curioso notar também que os portugueses mais velhos usavam alho-poró e folhas de alho para sacudir os espíritos e fazer que estes trouxessem um monte de energia positiva.

Na Finlândia, por sua vez, tudo é adornado com flores para receber o verão e, de passagem, homenagear a natureza. Os urbanistas celebram a noite de São João, mas não nas cidades – a tradição dita que as famílias passem o dia entre as árvores e desfrutem de um bom churrasco. Além disso, fazem grandes fogueiras perto dos lagos – chamados de kokko –para pedir, acima de tudo, sucesso no amor.

Na Letônia, a festa em honra de São João Batista também é celebrada com grandes esplendores. Da tarde até o amanhecer, os letões dançam ao som de canções populares, mas tal como os finlandeses, fazem uma ode à natureza. Todos, sem exceção, usam coroas e grinaldas de flores silvestres na cabeça que, no final da noite, jogam no fogo para deixar para trás os maus pensamentos e purificar o ano novo.
 

Espanha: terra de grande tradição

Na Espanha, a festa de São João goza de grande sucesso, especialmente no Levante, na Catalunha e no norte do país. Em Alicante, esta tradicional noite de verão foi declarada Interesse Turístico Internacional e, claro, é vivida com a multidão curtindo cada momento nas ruas. Dança, música e fogos de artifício acompanham a queima, no final da noite, dos monumentos de papelão e madeira – algo parecido com “Las Fallas” de Valência.

Enquanto isso, em Tarragona, os cidadãos montam animados festivais populares e deliciosos jantares sob as estrelas, esperando o nascer do sol entre risadas e amigos. A tradição entre os tarraconenses é diferente da do resto da Espanha: eles acendem fogueiras com a conhecida “Flama del Canigó”, um fogo que se acende no topo da montanha do Canigó, nos Pireneus. Além disso, esta chama – mais além da noite de São João – tem uma grande carga simbólica para os catalães, pois está intimamente ligada à vitalidade da cultura da região..

Em Corunha (Galícia), as boas-vindas a esta noite especial e supersticiosa é na praia de Orzán. O companheirismo é a tônica e várias histórias antigas são contadas ao redor das fogueiras. Os corunheses, para se libertar dos maus espíritos, passam a noite acordada degustando de sardinhas e cachelos assados com pão brona. É claro que para cumprir estritamente a tradição é importante acender o fogo até três vezes, fazendo um desejo quando o que resta, apenas, são as brasas. 

E, finalmente, na cidade de Mieres (Astúrias), também há uma maneira muito curiosa de celebrar esta noite especial. Todas as fontes da cidade são adornadas com oferendas florais e, ao anoitecer, é feito o que se conhece como cargüeña, uma encenação de como chegavam com a lenha e os panos envelhecidos à praça da prefeitura para acender uma grande fogueira. À meia-noite, após os fogos de artifício habituais, os mierenses agarram seus dedos mindinhos e dançam ao redor do fogo, enquanto cantam o popular romance Ay! Un galán de esta villa.

A noite de São João é, para todo mundo, onde quer que esteja, uma noite para recordar.