The Daily Prosper
Startups sustentáveis: uma tendência crescente

Startups sustentáveis: uma tendência crescente

Proteger o meio ambiente e promover a inclusão social são os objetivos dos projetos inovadores – cada vez mais abundantes – que apostam pela sustentabilidade.


Levar produtos saudáveis à mesa, que fazem bem tanto para as pessoas quanto para o meio ambiente. Usar plásticos que, em vez de poluir, respeitam a natureza. Ter acesso a ferramentas a partir um smartphone que melhoram a vida daqueles que necessitam. Mais além de desenvolver uma tecnologia inovadora, alguns empreendedores têm tornado possíveis estas e outras ações impulsionando projetos focados na sustentabilidade.

Afinal, somos cada vez mais conscientes da necessidade de proteger o nosso entorno e as ideias sustentáveis estão aí para ajudar a fazer do planeta um lugar melhor para todos.
 

Uma alimentação melhor

Comer frutas e verduras cultivadas sem prejudicar o meio ambiente é uma preocupação cada vez maior entre mais cidadãos. É por isso que algumas iniciativas querem responder a essa preocupação promovendo a agricultura sustentável.

Os agricultores já podem usar fertilizantes com micro-organismos procedentes dos húmus da minhoca para evitar o uso excessivo de produtos químicos e promover cultivos mais saudáveis. Por trás dessa inovadora ideia de transformar a agricultura tradicional está Enrique Cat, que recentemente foi selecionado como um dos 30 talentos com menos de 30 anos pela Forbes Summit Espanha.

Além desse projeto, os usuários contam com muitas outras opções de alimentos mais saudáveis, seja graças a uma rede de agricultores espalhados por toda a Espanha, criada para fornecer as melhores frutas e vegetais, ou adquirindo uma grande variedade de produtos ecológicos. Existem vários e-commerce que nos incentivam a comer melhor a partir da oferta de produtos que beneficiam nosso corpo e o meio ambiente em que são cultivados.
 

Promovendo energias renováveis ou criando plásticos respeitosos

Além de se preocupar com os efeitos que a agricultura tem sobre o meio ambiente, todos sabemos que alguns recursos da natureza são limitados e somos cada vez mais conscientes da necessidade de que nosso modo de vida não acabe com eles.

É por isso que outros projetos estão concentrando seus esforços em cuidar do meio ambiente a partir do uso de fontes de energia renovável. Graças a algumas  startups os cidadãos já podem desfrutar de eletricidade proveniente exclusivamente delas mesmas, para que possamos alimentar nosso smartphone ou outros dispositivos eletrônicos em nossas casas sem prejudicar o planeta.

O interesse em encontrar fontes alternativas de energia é tal que o tecido sustentável está crescendo sem parar para encontrar soluções. Uma prova disso é o caso do espanhol Gonzalo Murillo, incluído no ano passado na lista de inovadores com menos de 35 anos pela MIT Technology Review, depois de desenvolver um microchip que permite aproveitar a energia do meio ambiente para alimentar os sensores da Internet das Coisas sem a necessidade de recorrer a baterias. Dessa maneira, é possível demonstrar que o uso de novos dispositivos tecnológicos não pressupõe um maior consumo de energia.

No entanto, a sustentabilidade não envolve apenas recorrer a energias limpas, também implica que os cidadãos tentem reduzir o impacto de suas atividades – por exemplo, usando materiais que se reintegram à natureza. É por isso que a biotecnóloga e engenheira ambiental Patricia Aymá trabalha em um projeto que visa desenvolver plásticos que respeitam o meio ambiente por meio de resíduos orgânicos:

Enquanto os plásticos utilizados hoje em dia demoram décadas para se degradar, o produto concebido por Aymá, recentemente laureado com o primeiro prêmio do VII Encontro Nacional Santander YUZZ, incorpora bactérias capazes de gerar um plástico biodegradável em pouco tempo.

No entanto, quando se trata de viver uma vida diária mais respeitosa com o nosso meio ambiente, todos devemos apostar na realização de ações sustentáveis de forma habitual. Consciente disso, Santiago Jiménez e Carlos Rosety, estudantes de arquitetura e engenharia, respectivamente, da Universidade Carlos III de Madrid, criaram um aplicativo original para nos motivar a isso.

Através de um sistema de recompensas, os usuários podem encontrar incentivos que nos ajudam a reciclar ou usar a bicicleta em vez de veículos poluentes. Todos podemos fazer algo para mudar o mundo e este app é um grande estímulo.
 

Ferramentas para ajudar os outros

A sustentabilidade não tem apenas a ver com a forma como nos relacionamos com o planeta Terra. Na verdade, atender os setores da população normalmente esquecidos também é uma maneira de melhorar o mundo. Existem alguns projetos na Espanha que se concentraram na sustentabilidade social para ajudar os cidadãos.

Sem ir muito longe, outro aplicativo nascido em colaboração com a Universidade Carlos III de Madrid visa que todas as pessoas desfrutem dos filmes de maneira igual. O nome do app é Whatscine e, graças a ele, pessoas com deficiência visual ou auditiva dispõem de três sistemas de acessibilidade (descrição de áudio, linguagem gestual e legendas adaptadas) para melhorar sua experiência quando se sentam em uma poltrona de cinema ou na sala de estar de casa, uma vez que também se integra à televisão.

Os cegos também podem encontrar ajuda em outros apps, como o Lazzus. Esta ferramenta proporciona informações auditivas para chegar a um determinado destino, descrevendo todos os detalhes do percurso.

Nos últimos anos, os idosos também têm a oportunidade se beneficiar do serviço prestado por outros projetos inovadores. A lista é longa: Cuideo, Cuidum, Familiados ou Joyners são apenas algumas das opções disponíveis quando se trata de encontrar um cuidador profissional a domicílio para as pessoas idosas através de seu site e de forma simples.

Também existem outros grupos vulneráveis que se tornaram a principal preocupação de alguns projetos desenvolvidos em território espanhol. Projetos que trabalham para a sustentabilidade social promovendo a inclusão social em suas próprias equipes de trabalho.

Deliberry, a empresa de entrega de alimentos, é um bom exemplo disso, já que conta com mamá shoppers – compradoras especializadas que vão aos supermercados e selecionam os melhores produtos para o usuário. Geralmente, são mulheres com mais de 45 anos com problemas para encontrar emprego, para o qual a empresa chegou a um acordo com um programa da Cáritas. Algo parecido é feito pelo Koiki, um projeto de empreendedorismo social que também oferece serviços de distribuição apostando em funcionários com deficiência intelectual ou física e desempregados de longa duração.

Estas são apenas algumas das startups cada vez mais abundantes na Espanha e que, em vez de se limitar a oferecer um produto ou serviço, estão promovendo iniciativas ecológicas e sociais inovadoras para contribuir para a sustentabilidade global e tornar o planeta um lugar melhor para todos.