The Daily Prosper
Relações sociais e tecnologia: duas décadas de história

Relações sociais e tecnologia: duas décadas de história

Carros que viajam sem motorista, geladeira autossuficiente, o 5G e transplantes com órgãos personalizados. Algumas tecnologias realmente complexas estão ao virar da esquina, parecem próximas e, em alguns casos, são tão familiares como se estivessem implantadas na nossa rotina.


O progresso tecnológico é tão rápido que o tempo tem essa aparência ainda mais elástica e dá lugar a novas ideias e criações espetaculares que se aglomeram em pouco tempo – e que no passado estariam bem mais espaçadas.

A inovação possui um ritmo rápido e alegre, que nos adaptamos com entusiasmo, graças à surpresa de desfrutar todos os dias de uma novidade emocionante. Nada a ver com o passado. Quem poderia pensar, hoje, que há pouco mais de duas décadas nascia o primeiro Tamagotchi? Esse era o futuro e coexistia com a estreia de Titanic e com o lançamento do novo Volkswagen Beetle e do primeiro 205 da Peugeot. Às vezes, 20 anos parecem 10, e a coisa mais importante da evolução é, precisamente, o que não se vê: o que está tão naturalizado que já nem sequer percebemos.

Mais além das coisas, do ambiente e do tangível, a verdadeira revolução invisível é a que protagonizaram as relações entre as pessoas. Você já tinha parado para pensar nisso? Aqui estão seis motivos para refletir no assunto.
 

O cara a cara

Falar eternamente com as pessoas. E não apenas pelo telefone. Quem diria que, há alguns anos, o pager era o último em tecnologia e parecia incrível que um bipe soasse quando alguém nos ligava. Somente os mais nostálgicos vão se lembrar disso e, talvez, tenham guardado algum em sua caixa de quinquilharias antigas. Do beeper passamos às mensagens de texto (os famosos torpedos) e, daí, a uma galáxia muito, muito distante, com a chegada do WhatsApp.

Porque o milagre, além de não pagar por enviar e receber mensagens ilimitadas, é que qualquer um que você possa imaginar utiliza o mesmo aplicativo como base de sua comunicação eletrônica. As barreiras de todos os tipos desapareceram.
 

Amigos em toda parte

Fóruns invisíveis. A magia daquele mural cheio de tachinhas com mensagens, fotos e recortes foi desaparecendo aos poucos. Tudo o que era colocado lá encontrou um espaço na internet, e não só isso: encontrou um vasto público, fácil de contatar, visível e permanentemente ativo. O Facebook ajudou a impor as redes sociais sobre os murais na parede: essa é uma evolução relacional.

Carros que viajam sem motorista, geladeira autossuficiente, o 5G e transplantes com órgãos personalizados. Algumas tecnologias realmente complexas estão ao virar da esquina, parecem próximas e, em alguns casos, são tão familiares como se estivessem implantadas na nossa rotina.

"É impossível ignorar a magia e o poder da alternativa digital"

Mais que amigos

Amor à la carte. Ou romance, sexo, bebidas em um bar, relações estáveis ou o que você quiser encontrar. Aquilo do drinque junto ao balcão neon rosa do bar e o pretendente inesperado que paga a próxima ronda foi penalizado pelas estatísticas.

Dezenas de aplicativos móveis (Tinder, Happn, Lovoo, Pure, Ashley Madison ou Grindr) permitem xavecar com pessoas de mesmo perfil, selecionadas, próximas, secretas ou seja lá o que você busca. E para cada um deles há dezenas de empresas especializadas, usos e formas de gerar esse avatar de si mesmo para se lançar ao marketing pessoal e “vender seu peixe”, enquanto busca exatamente o que deseja encontrar – ou não.
 

Companheiros de viagem

Para trajetos curtos, longos, diretos ou parciais. Quem disse que o carro é um transporte privado? Vários sites e aplicativos (Amovens.com, blablacar.es, compartocoche.com) permitem planejar viagens em comum, compartilhando seu veículo a partir de um pequeno incentivo econômico ou viajando como passageiro pagando uma pequena quantia. Em questão de minutos a rota é elaborada e se contata eletronicamente com novos companheiros de viagem que coincidem com o destino ou, pelo menos, com um ponto ao longo do caminho. Grandes amizades nascem fortuitamente na estrada.

Um passo mais além é a proliferação do uso compartilhado de carros nas grandes cidades, que, além de reduzir custos e permitir viver sem automóveis, normalmente são elétricos, contribuindo para limpar o ar e o espaço comum. A partir daqui, bicicletas grátis!
 

Seja sua própia agência de viagens

Hotéis para cada estadia. Aquele amigo que sempre nos enviava para o melhor hotel agora tem o formato de um motor de busca. O usuário escreve opiniões e pontua com estrelas, notas ou qualquer outra opção disponível para avaliar.

O melhor não é apenas a possibilidade de planificar a viagem de forma detalhada, entrar virtualmente nas acomodações que serão reservadas ou visualizar cada milímetro dos mapas do destino. Ainda melhor que isso é a conveniência de cancelar – com apenas um clique – a maioria das reservas feitas, caso aconteça alguma coisa e a viagem tenha de ser cancelada ou se um belo dia você acorda e descobre uma opção mais interessante de hospedagem. São inúmeras as alternativas: Booking, Amoma, Tripadvisor, Kayak...
 

Currículo itinerante

E enviado a lugares estratégicos. Porque, é claro, se você não sai às ruas para procurar um hotel, não irá por aí distribuindo algumas folhas com sua experiência profissional.

Nem a pesquisa de emprego se restringe ao diário de papel, circulando a oferta selecionada como nos filmes, nem a procura é sem critérios, entregando uma cópia do currículo onde quer que seja.

O mercado de busca de emprego está tão desenvolvido no ambiente on-line que é quase impensável procurar emprego sem se registrar em um site especializado. As empresas gozam de um grande mercado de candidatos e, estes, de uma ampla oferta concentrada em fóruns fechados. O relacionamento estabelecido entre empregado e empregador nasce com um clique frio, mas permite um nível de conhecimento um do outro tão completo e profundo como as várias entrevistas pessoais ou aquelas antigas por telefone.

A vida segue igual, como se diria, mas é impossível ignorar a magia e o poder da alternativa digital. Escolher é uma possibilidade muito limitada para qualquer pessoa que disponha de uma conexão de dados. Isso anula a vida real? Claro que não. A arte de viver agora está em combinar magistralmente os recursos on-line e off-line que o dia-a-dia nos presenteia cada vez com mais frequência.