The Daily Prosper
O futuro das PME: a transformação digital

O futuro das PME: a transformação digital

A Espanha é um país de PME. A maioria das empresas que compõem a rede comercial espanhola são pequenas e médias e, no entanto, a digitalização ainda é uma questão pendente. Não só para elas.


Segundo a Comissão Europeia, apenas 2% das organizações que operam na União Europeia (UE) estão aproveitando todas as vantagens oferecidas pelas novas soluções tecnológicas.

Uns números que mostram todo o trabalho que ainda deve ser feito a esse respeito e um desafio para as PME, que devem enfrentá-lo se quiserem tirar o máximo partido do seu negócio. Já não é nenhum segredo que as empresas digitalizadas são mais eficientes e produtivas.

O público agora é, em sua maioria, on-line e usa a internet para comparar preços, contratar viagens ou para optar por um restaurante ou por outro.

De acordo com o estudo “Análise da digitalização de freelancers e PME”, quatro de cada cinco clientes pesquisam on-line antes de comprar, as cafeterias com Wi-Fi vendem até três vezes mais cafés, os negócios com publicidade on-line recebem até três vezes mais chamadas e trabalhar na nuvem economiza até 20% do tempo dedicado às reuniões.

Razões mais do que suficientes para contemplar a digitalização como um investimento, e não como uma despesa ou um objetivo praticamente inatingível. E não são as únicas.

Alejandro Javier Tosina, diretor de Economia Digital do site Red.es, lembra que esta transformação “afeta todos os usuários e todos os canais de vendas, bem como as formas como as empresas estão organizadas e a maneira de se relacionar com os clientes e fornecedores. As companhias que não se adaptarem à nova economia digital correm o risco de serem deixadas de fora do mercado global”.

As empresas já vivem na extensão da digitalização e, embora contemplem seus processos de transformação desde uma perspectiva bastante otimista, ainda têm tarefas futuras nesse sentido.

Para empreender este processo de maneira exitosa, as empresas devem, segundo Tosina, superar algumas barreiras: “Convencer a estrutura diretiva e as equipes de comando. A resistência a mudar para uma nova maneira de fazer as coisas é uma das principais limitações.

Acreditar no novo paradigma é fundamental para enfrentar uma transformação digital substancial; conhecimento, porque é essencial ter talentos especializados que possuem as habilidades apropriadas para implementar as ferramentas e as novas formas de agir no ambiente digital; e o custo, porque devemos saber que o investimento em recursos, tanto humanos quanto tecnológicos, é, especialmente no caso das PME, um freio importante para colocar em prática mudanças significativas no modelo de negócios”.

 

Estar na internet deveria ser uma prioridade para as pequenas empresas

Embora vivamos em um mundo digital, a maioria das empresas não considera a digitalização como algo urgente. Um erro, porque apenas aqueles que estão na vanguarda das tendências vão poder competir com as mesmas armas que as novas empresas nativas digitais.

No entanto, de acordo com o “Estudo sobre o estado da digitalização das empresas e administrações públicas da Espanha”, elaborado pela Vodafone, “a digitalização é apenas uma preocupação espontânea para 2% da maioria das empresas espanholas.

Essa percentagem aumenta para 12% em empresas com mais de 100 funcionários e incrementa nas com mais de 500”. Uns dados que demonstram que a digitalização não está no top 3 da lista de obrigações imediatas das PME.

Porque antes de começar a trabalhar com essa transformação, elas devem dedicar a maior parte de seus recursos a questões mais iminentes, como tributação e impostos ou a rentabilidade de seus negócios. Em suma, elas são guiadas muito mais pelo curto prazo e não entendem que, às vezes, o urgente nem sempre é o importante.

 

Preparadas para uma transformação digital

É verdade que a digitalização não se limita à criação de um site. É uma revolução integral, uma transformação completa que gerou um novo paradigma comercial. O investimento exigido implica, além das tecnologias, dos procedimentos e da organização que as empresas devem incorporar em seus processos corporativos, uma série de soluções, aplicações, usos e perfis qualificados que lidem bem com o ambiente digital.

Portanto, esse processo normalmente é lento e caro. Principalmente para as pequenas e médias empresas com recursos limitados. Mas também é essencial para sua sobrevivência.

E, diante de todos os obstáculos que uma PME pode encontrar em seu processo de transformação, existe o dobro de vantagens para investir na digitalização. Encontramos muitos motivos para isso, mas vamos resumi-los nestes cinco:

 

  1. Automatiza processos, produtos e serviços gerados pela empresa. Uma razão forte para apostar nessa transformação, uma vez que torna o trabalho e a organização da empresa muito mais fáceis.
     
  2. Aumenta a velocidade de resposta aos problemas. Ao estar tudo automatizado é mais fácil encontrar a origem do erro e buscar a melhor solução. Ou seja, oferecer uma resposta satisfatória e rápida ao problema.
     
  3. Melhora a interação com os clientes. É cada vez mais habitual que o público utilize redes como o Twitter para enviar dúvidas a uma empresa, criticar alguns de seus processos ou simplesmente pedir ou dar conselhos.

    Os recursos digitais se tornaram a maneira mais utilizada pelos clientes e contar com um site e redes onde os usuários podem comentar e perguntar é essencial para qualquer empresa que queira sobreviver à era 2.0.

     
  4. Abre novas possibilidades de mercado. No mundo digital, as distâncias não existem – e as empresas que estão no mundo digital podem chegar a mais clientes, melhorar a comunicação digital e alcançar potenciais nichos de mercado.
     
  5. Melhora o posicionamento da marca. Não é nenhum segredo que as marcas que conhecemos não são necessariamente aquelas que anunciam mais, mas as que mais encontramos na internet. Na atualidade, quando queremos procurar algo, vamos ao Google e apenas as empresas digitalizadas com uma clara estratégia de marketing on-line conseguem estar na primeira página do conhecido mecanismo de pesquisa.