The Daily Prosper
Logotipos icônicos: as sete marcas mais reconhecidas no mundo

Logotipos icônicos: as sete marcas mais reconhecidas no mundo

O prestígio de uma marca não está apenas nos seus produtos, mas nos valores intangíveis com os quais elas estão associadas na imaginação coletiva.


Uma maçã mordida, o “M” amarelo, os quatro círculos juntos ou o crocodilo. Com certeza você sabe que marcas esses logotipos se referem. Mas é que estes ícones que servem para identificar as empresas são muito mais do que letras ou um desenho. Eles representam inovação, sabor, velocidade ou elegância. Tecnologia, rapidez, esforço, coragem ou juventude. Em um momento, vinculamos uma marca a uma série de valores que se encontra inevitavelmente no imaginário coletivo.

O universo ao qual associamos certos logotipos nos faz acrescentar conceitos abstratos às funções de um produto. É o poder que as marcas têm. Não é uma associação casual, mas o resultado do trabalho de comunicação que passa pela escolha do nome e da embalagem e que acaba no design dos espaços de distribuição.

As melhores marcas do mundo

Mas quais são as marcas mais reconhecidas no mundo? O relatório Best Global Brands, um estudo que a Interbrand realiza há 18 anos, identifica em um ranking as 100 marcas globais mais valiosas do mundo.

Embora as primeiras posições tradicionalmente tenham sido ocupadas por empresas de produtos de consumo (como Coca-Cola ou McDonald’s), nos últimos anos as empresas de tecnologia e serviços têm crescido.

No topo das melhores marcas globais encontramos desde a Apple, com seu iPhone – que marcou o caminho para o design dos smartphones –, até a Google, que se tornou praticamente nosso disco rígido. Das marcas de produtos de consumo por excelência, somente a Coca-Cola mantém seu lugar no Olimpo das mais valorizadas e famosas. 

Duas empresas espanholas no top 100: Zara e Santander

 Apple
1. Apple

A marca tem um dos logotipos mais ilustres (e valorizados) da atualidade. Embora agora esteja associada com seu onipresente iPhone, ela nasceu como uma marca de computadores e ao longo do caminho criou todos os tipos de dispositivos, softwares e até mesmo seu próprio sistema de pagamento.

Apple

A primeira imagem, nos anos 1970, da recém-nascida Apple Computer, foi uma gravura de Isaac Newton sob uma macieira. Steve Jobs interveio rapidamente para simplificá-la: uma maçã com uma silhueta muito semelhante à atual, mas com um arco-íris dentro.

Incrivelmente longevo, este logo durou mais de duas décadas quase intacto, de 1976 a 1998. Essa é a data do renascimento da empresa com o retorno de Jobs e o lançamento dos iMacs.

Naquela época, optou-se por uma maçã monocromática que, na sua versão metálica lançada em 2007, dura até hoje. Um exemplo dessa evolução pode ser visto nos filmes Steve Jobs e Jobs.

Google
2. Google

Soube se posicionar como uma empresa que, mais que usuários, cria fãs – graças a estratégias similares às utilizadas pela Apple.

“Google” já se tornou um verbo em inglês para se referir a “pesquisar por algo na internet” e há 12 anos está nos dicionários Oxford e Merriam-Webster de língua inglesa.

A história desse grande e conhecido mecanismo de busca pode ser encontrada no livro Googled: The End of the World As We Know it.

Google

A imagem do gigante de Mountain View, como todos os logos icônicos, fez pequenas mudanças ao longo das suas duas décadas de história – para rejuvenescê-lo e adaptá-lo aos tempos.

De fato, desde 1998, mantém a mesma combinação de cores. O logotipo inicial foi acompanhado por um ponto de exclamação, emulando o gigante da época: Yahoo!.

As cores foram se achatando com o tempo, eliminando sombras e efeitos tridimensionais. Em 2015, o logotipo já aparecia tal como vemos agora, embora com um tipo de letra diferente (passou de uma tipografia com serifa para uma sem serifa).

 Microsoft
3. Microsoft

Sua imagem parece refletir os estilos predominantes em cada momento, desde seu nascimento “disco” nos anos 1970 até a tipografia de “camiseta heavy metal” que estreou na década de 1980.

No final dessa década eles lançariam o chamado logotipo Pacman (em referência a como o “O” parecia comer o “S”). Esse logo acompanharia a era de ouro da empresa, com o lançamento exitoso dos sucessivos Windows durante os anos 1990.

O filme Piratas da Informática conta o momento da criação do primeiro computador pessoal e a relevância que a Microsoft teve naquele momento da história.

Microsoft

A imagem atual foi lançada com uma grande festa em 2012, coincidindo com um novo lote de produtos (novo console Xbox, novo pacote Office, novo Windows...) e foi acompanhado pela primeira vez por um detalhe geométrico: os quatro quadrados em cores diferentes.

Embora a Microsoft quisesse simbolizar a “diversidade de produtos” da empresa, muitos veem uma versão estilizada do logotipo clássico do Windows.

Coca-Cola
4. Coca-Cola

Embora seu logo tenha sido atualizado, ele mantém o mesmo caráter e é igualmente reconhecível. Foi o contador do Dr. John Stith Pemberton (o inventor de sua fórmula) quem projetou o primeiro logotipo da empresa. Apesar de sofrer algumas mudanças um pouco barrocas durante o ano 1890, permaneceria o mesmo até 1941.

Coca-Cola

Em 1947 foi a primeira vez que o logo era inserido em branco sobre um fundo vermelho.

No final dos anos 1960, chegava o chamado ribbon, o laço ou onda branca, que se tornaria parte da imagem da bebida e que foi abandonado no recente redesenho de sua marca, onde se prioriza o logotipo histórico sobre o fundo vermelho.

O livro Inside Coca-Cola, escrito por Edward Neville Isdell, CEO da empresa durante mais de 30 anos, explica a história de uma das marcas mais reconhecidas no mundo todo.

Amazon
5. Amazon

A empresa de serviço mais recente, que está nas primeiras posições do ranking, nasceu como uma livraria on-line. A biografia The Everything Store: Jeff Bezos and the Age of Amazon, sobre seu fundador, Jeff Bezos, relata sua criação. Naquela época, em 1995, o logo se referia ao rio Amazonas.

No final da década, a empresa começou a vender outros produtos culturais e nascia o logotipo em negrito com a linha dourada.

Amazon

Com o novo milênio chegou o logo que todos nós conhecemos, em que a linha se transforma em uma seta que aponta do “A” para o “Z” de Amazon, com o objetivo de simbolizar que o usuário encontrará tudo nesta loja on-line.

A seta também parece um sorriso que apela para a facilidade de comprar. Hoje em dia, a Amazon – que mantém o mesmo logotipo desde 2002 – é uma loja para qualquer necessidade

Zara
6. Zara

A popularidade da principal marca da Inditex e sua capacidade de captar e servir tendências em apenas algumas horas não passaram despercebidas para os especialistas.

O logotipo da Zara não mudou desde seu nascimento. Corria o ano 1975 e a Zara tinha um logo vermelho de letras gordas que a acompanharia até o início da década 1980.

Zara

Com a expansão internacional, chegou o logotipo que todos reconhecem, de Nova York a Dubai, passando por Tóquio. Ele foi estilizado ao longo dos anos, mas mudou muito pouco.

Santander
7. Santander

O banco espanhol possui uma das marcas mais fortes do setor financeiro. Ela é reconhecida internacionalmente pela confiança e credibilidade que transmite.

Seu famoso símbolo da chama evoca progresso, calor e humanidade. No entanto, o grupo espanhol está imerso em uma transformação digital que também envolve a renovação de sua marca.

Santander

O Santander lança novo logotipo, com uma chama mais estilizada e uma tipografia que transmite modernidade. Naturalmente, a entidade vai permanecer fiel à cor vermelha. Trata-se de uma mudança de marca que visa fortalecer a estratégia digital do grupo.