The Daily Prosper
¿Cómo influye la alimentación en tu estado de ánimo?

Como a alimentação afeta seu humor?

O sistema digestivo está na moda. Nunca antes a sociedade esteve tão preocupada em controlar o que comemos. Embora seja verdade que uma grande parte das pessoas que se somam ao cuidado com a alimentação faz isso para “ser cool”, o bom dessa tendência é que dá visibilidade a uma parte do nosso organismo que, tradicionalmente, no mundo ocidental, maltratamos muito.


Nos últimos anos, a medicina focada no sistema digestivo deu um giro de 180 graus. Passou de ser estudada desde uma perspectiva mecanicista para uma perspectiva muito mais integradora. O que descobrimos? O intestino é nosso centro de saúde, atua como um segundo cérebro e, com o cuidado que merece, pode mudar nosso estado de espírito da cabeça aos pés e, portanto, nosso bem-estar geral.

"Devemos evitar alimentos que impeçam a fabricação adequada de serotonina, como aqueles que produzem inflamação ou deficiências nutricionais"

O intestino, nosso segundo cérebro

Se analisarmos o nosso tubo digestivo em profundidade, descobrimos que “logo abaixo de onde circulam os alimentos que comemos, temos duas redes neurais que compõem o conhecido sistema nervoso entérico ou segundo cérebro”, explica Xevi Verdaguer, psiconeuroimunólogo catalão e autor de Transforma tu Salud (Ed. Grijalbo). O alimento é um dos aspectos que podem modificar a fabricação intestinal de neurotransmissores, como a serotonina ou a dopamina, e afetar nosso humor e comportamento. Nesse sentido, criamos uma lista de compra com os nutrientes fundamentais para subir o humor.


Encha seu carrinho de...

  1. Peixe azul: como salmão e atum. Eles são especialmente interessantes porque fornecem vitamina D, que desempenha um papel fundamental na redução dos distúrbios afetivos sazonais (a típica tristeza e “baixo astral” do outono-inverno).
     
  2. Chocolate preto: excelente fonte de triptofano, um aminoácido precursor da serotonina. Tem um efeito intensificador da felicidade e do estado de ânimo positivo. Além disso, o chocolate preto também é rico em feniletilamina, um composto chamado de “droga do amor”, porque cria uma sensação semelhante à de estar apaixonado.
     
  3. Kefir e iogurte: são ricos em probióticos. Em um artigo científico recente publicado na Annals of General Psychiatry conclui-se que os probióticos aliviam sintomas de depressão, como ansiedade e mudanças de humor.
     
  4. Legumes de folhas verdes: como espinafre ou couve. São muito ricos em folato, uma vitamina do grupo B que tem sido associada com o menor risco de depressão.
     
  5. Frutos vermelhos: Verdaguer nos recomenda, especialmente, os “mirtilos selvagens”, cuja contribuição em antioxidantes é excelente. Os frutos vermelhos, juntamente com o brócolis, o repolho e a beterraba (...) melhoram a diversidade bacteriana do intestino e reduzem as inflamações, ambas essenciais para desfrutar de um bom humor. Vários estudos demonstraram que os frutos vermelhos melhoram os sintomas de disforia e depressão e reduzem o estresse.
     
  6. Nozes: muito ricas em ácidos graxos Ômega 3, têm um efeito calmante, ajudam na concentração e fornecem um poder “estabilizador” do humor. Além das nozes, você encontrará quantidades interessantes de ômegas em peixes azuis, sementes de linho e azeite.
     
  7. Hortaliças: especificamente cebola, alho-poró, alho, cenoura, feijão, alcachofra e beterraba. Delícias da horta ricas em fibras solúveis e amido resistente, propriedades que lhes dão características prebióticas. Vários estudos demonstraram as propriedades ansiolíticas dos prebióticos.

É importante encher seu carrinho com intensificadores naturais de felicidade, mas também evitar os ingredientes que prejudicam a energia emocional. Por isso, devemos evitar alimentos que impeçam a fabricação adequada de serotonina, como aqueles que produzem inflamação ou deficiências nutricionais de vitaminas ou minerais (B2, B6, B9, B12, Mg, Zn, Fe) – casos do álcool, açúcares refinados, edulcorantes e alimentos processados.

As pessoas sensíveis ao glúten (não precisam ser celíacas ou alérgicas ao glúten) devem evitar o trigo, pois prejudicará seus níveis de energia e agravará seu humor. Por essa razão, Xevi Verdaguer recomenda fortemente “incorporar cereais sem glúten, uma vez que podem mudar suas vidas (...). O trigo-sarraceno, também chamado de trigo-mourisco, e a quinoa são meus favoritos”.