The Daily Prosper
Coaching pessoal: ferramentas para aprender a ser você mesmo

Coaching pessoal: ferramentas para aprender a ser você mesmo

Em um mundo onde somos sufocados pelas obrigações diárias e em que as circunstâncias podem ser penosas, não é de se estranhar que nos distanciemos facilmente de nossos objetivos. Você já não vive a vida que gosta? Deseja desbloquear todo seu potencial? Quer dominar suas inseguranças?


Estas são algumas das perguntas que a maioria de nós fazemos quase todos os dias, consciente ou inconscientemente, e nos falta as ferramentas para encontrar as respostas.

Tem certeza? As ferramentas, na realidade, estão dentro de nós mesmos. Exatamente como quando as árvores não nos deixam ver a floresta, a neblina da vida cotidiana não nos permite explorar nosso potencial interno de felicidade.

O coaching profissional é uma disciplina que usa diferentes habilidades de comunicação (escuta, questionamentos, esclarecimentos, reflexões), entre outras técnicas, para ajudar os clientes a descobrir novas abordagens para atingir seus objetivos, suas metas ou o que desejam alcançar. Às vezes se trata de uma necessidade básica – por exemplo, “como superar o fim de uma relação amorosa”, explica José Miguel Gil, presidente da Associação Espanhola de Coaching (ASESCO).

Entre as pessoas que utilizam os serviços de um coach, “existe de tudo”, afirma Gil. “As pessoas nos consultam abordando crises no trabalho, inseguranças pessoais, gente que pensa que ‘não é boa o suficiente’, que sofre para conciliar profissão e família (...). Inclusive pessoas que não conseguem parar de fumar ou perder peso e, apesar de tentar de tudo, não conseguem encontrar a motivação necessária.”

Nesse sentido, a figura do coach acompanha a pessoa através de uma jornada de exploração interna desde o início do conflito até a resolução do mesmo. A duração de um programa depende muito das necessidades de cada cliente e da motivação e vontade de mudar. “Em média, uma pessoa precisa de oito a 14 sessões entre uma hora ou uma hora e meia cada”, explica Gil, e estas sessões podem ser feitas pessoalmente, por telefone ou videoconferência.

"o autoconhecimento é uma estratégia fundamental para se afastar do estresse emocional interno e que ele irá ajudar a viver a vida de uma forma mais livre e feliz"

Você tem de parar de “se desvalorizar”

Quando falamos com José Miguel Gil, uma das primeiras coisas que ele nos esclarece é que o coaching pessoal não é uma terapia ou psicoterapia. “Trabalhamos com casos que não são transtornos. Se há um diagnóstico, então a tarefa é de um psicólogo.” E, para ser sincero, essa visão é bastante reconfortante.

Por acaso, você nunca se viu no meio de uma situação em que precisaria de um conselho profissional, mas sem necessidade de alcançar o âmbito clínico? Talvez este seja um dos maiores aliciantes do coaching pessoal – o desbloqueio, a expansão da nossa capacidade de resposta, alguém que nos faça as perguntas certas e, acima de tudo, a ausência de julgamento ou censura. Alguém que nos ajude a identificar obstáculos e resolver conflitos de forma natural com nossas próprias habilidades.

Todo mundo já passou por isso: esquecer quem somos e o que queremos na vida. Os humanos têm uma tendência incomparável de se boicotar a si mesmo. “Somos especialistas em nos penitenciarmos e esquecemos a quantidade de coisas que conseguimos, o quão valioso somos”, diz Gil com grande contundência. “Quando você começa a trabalhar com uma pessoa e descobre a quantidade de coisas que ela alcançou ao longo da vida dela e você isso mostra a ela, a pessoa se fortalece, cresce e começa a avançar”, conclui o especialista.

Se você está começando a pensar em viver sua própria revolução, abrir-se a um novo mundo de possibilidades e tomar as rédeas da sua própria vida para se conhecer de uma maneira mais profunda, então você pode começar tomando nota dessas ferramentas para reaprender a ser você mesmo. Não se esqueça de que o caminho para o autoconhecimento é uma estratégia fundamental para se afastar do estresse emocional interno e que ele irá ajudar a viver a vida de uma forma mais livre e feliz.

 

Vamos nessa!

1. Siga sua intuição

Ou o que é o mesmo: não fique na zona de conforto. Não reprima essa voz interior que continua lembrando o que realmente faria você mais feliz. Mude de emprego, abra essa empresa que sempre pensou que seria um sucesso, diga “sim, eu quero” ou “eu já cheguei até aqui”. Certa vez, o magnata da computação Steve Jobs disse o seguinte: “Não deixe que o barulho das opiniões alheias silencie sua própria voz interior. E, o mais importante, tenha a coragem de fazer o que seu coração e intuição lhe dizem para fazer”. Amém.

 

2. Substitua pensamentos autodestrutivos por afirmações positivas

Escreva em um caderno afirmações positivas, coisas que você diria aos outros para reconhecer seus méritos (e que, infelizmente, você nunca diz a si mesmo). Com as afirmações diante de você, pare de dizer frases do tipo: “Eu sou um desastre”, “Eu não posso”, “Como eu sou estúpido”. Toda vez que você detectar esse comportamento, recorra às suas afirmações e repita novamente: “Eu sou brilhante”, “Sim, eu posso”, “Que corajoso eu sou”. É o primeiro passo para aceitar sua verdadeira identidade e excelência pessoal.

 

3. Pare de querer agradar os outros se você não sentir que deve

É um comportamento extenuante! Por que sempre agradar? É claro que a aceitação social é um pilar fundamental da nossa existência. Na verdade, segundo o pesquisador Richard Boyatzis, especialista em inteligência emocional, o medo da rejeição social é uma das três causas mais comuns do estresse humano. Que o medo da rejeição não envenene sua alma. Em uma situação em que você não se sente à vontade para dar sua aprovação, experimente discretamente, ou educadamente, discordar. Nunca minta. Uma mentira leva à outra e, antes de você ver, isso será um efeito de bola de neve.

 

4. Não tenha vergonha de pedir ajuda

Crie e confie na sua rede de apoio. Não há absolutamente nada de errado em pedir ajuda aos outros diante de um conflito. Às vezes a ajuda vem na forma de uma simples conversa informal com um amigo ou mesmo um estranho. Utilize as pessoas como suporte e orientação. Verbalizar seus problemas irá ajudar você a se conhecer melhor e ter um impacto positivo no seu crescimento pessoal.

 

5. Nunca se compare com os outros

Os seres humanos se diferenciam um dos outros até nas impressões digitais. Pense que você nunca poderá ser você mesmo se estiver tentando ser outra pessoa. Uma coisa é inspirar-se, tomar alguém como exemplo, e outra é duplicar essas virtudes. Aprenda com elas, internalize-as e reescreva-as com sua própria assinatura.