The Daily Prosper
Alexandre Godin: Welcome to the mixed reality

Alexandre Godin: Bem-vindo à realidade mista

Alexandre Godin, especialista em realidade mista da Airbus, defende que isto acabará alterando a forma como nos relacionamos com o mundo ao mesmo tempo em que cria um novo paradigma.


 

Imagine não apenas escutar música, mas também visualizá-la à sua frente. Imagine ver o estado do trânsito na cidade inteira sem tirar os olhos do para-brisa. Imagine não depender de monitores para transformar o horizonte do mar em uma tela. O responsável pelas realidades mistas da Airbus, Alexandre Godin, não quer imaginar o futuro, mas criá-lo.

Para tanto, Godin combina ergonomia e bioengenharia para encontrar uma maneira de que máquinas e pessoas interajam da forma mais orgânica e intuitiva possível. “Estamos acostumados ao paradigma de controlar as coisas com as nossas mãos, como no caso de um mouse ou teclado, por exemplo”, explica Godin. “Agora, controlaremos um avatar que somos nós mesmos.”

O recente desenvolvimento da realidade mista (RM) supõe um passo além na interação do ser humano com as máquinas. Esta combinação entre realidade virtual (RV) e realidade aumentada (RA), como define Godin, coloca o usuário no centro e permite que ele adquira novas habilidades, como fazer aparecer coisas do nada, controlar objetos sem tocá-los e criar seu próprio mundo digital.

A telepresença é outra potencial aplicação da realidade mista. O pesquisador da Airbus destaca os benefícios de ver uma conferência sem sair de casa, ainda assim sentindo uma proximidade física; de comunicar-se com seu parceiro usando avatares completos; ou até de viajar a Marte sem sair do sofá e interagir com o espaço. Essa possibilidade de ver além do que nos rodeia, a telepresença e outras capacidades que parecem mágica se transformarão em algo cotidiano graças à realidade mista. “Hoje, usamos a informática, mas a RM vai alterar a maneira como interagimos com os dados e a tecnologia”, afirma Godin.

A Airbus está imersa neste processo de inovação desde 2016. Godin e sua equipe buscam unir o virtual e o físico graças a dispositivos como o lançado pela Asus e Microsoft, principal impulsor desta tendência e com quem a Airbus colabora através do  Microsoft Mixed Reality Partner Program. Dentro das pesquisas nas quais trabalham para melhorar seus projetos, controles de qualidade e experiência do cliente, a companhia aérea acaba de desenvolver o primeiro treinador de realidade mista do mundo para o avião comercial A350 XWB. Ele funciona como as HoloLens da Microsoft, que colocam objetos virtuais no mundo físico, usando fones de ouvido imersivos. Este avanço permitirá que a comunidade aérea conte com melhores e mais rentáveis formas de captação, além de possibilitar que um piloto possa aprender em qualquer lugar do mundo com aproveitamento máximo. Ele poderia, por exemplo, colocar um motor virtual em cima da mesa de seu escritório ou uma cabine de comando em uma sala de reunião.

Godin pretende que essas tecnologias emergentes entrem também na vida cotidiana e beneficiem a maior quantidade de gente possível, seja em seus trabalhos ou em sua vida privada. Elas poderão ser utilizadas na educação, na medicina, na arquitetura e na defesa, entre outras áreas. Para o pesquisador, o futuro será assim, e ele não vê a hora de que tal futuro chegue. “Eu adoro o poder que a realidade mista tem de comunicar emoções, simular situações e ajudar que as pessoas superem seus problemas. Trata-se de uma ótima maneira de reposicionar o usuário dentro da tecnologia”, afirma Godin.