The Daily Prosper
5 técnicas de economia efetivas e fáceis de aplicar

5 técnicas de economia efetivas e fáceis de aplicar

Você percebeu que é praticamente impossível poupar? Em alguns meses você precisa usar seu cartão de crédito para conseguir chegar ao fim do mês? Quando ocorre um imprevisto, você tem dificuldades para enfrentá-lo? Se respondeu “sim” a qualquer uma das perguntas acima, você precisa saber como economizar de modo eficaz e, para começar a ver como o dinheiro se acumula na sua conta corrente, aconselhamos seguir os seguintes passos:


 

1. Trace um orçamento e atenha-se a ele

Não ser capaz de economizar não é algo exclusivo das famílias de pouca renda. Os agregados familiares com rendas médias e elevadas normalmente gastam mais do que recebem porque não sabem realmente quais despesas terão mensalmente. A solução para assumir as rédeas do problema é traçar um orçamento, isto é, uma previsão de gastos anuais onde se incluam as quantias fixas e variáveis. Em um artigo anterior, explicamos a maneira correta de traçar um orçamento, se você o seguir ao pé da letra já terá percorrido mais da metade do caminho.
 

2. Compare preços e não faça compras compulsivas

Embora o fator preço não seja o único que determina onde realizar a compra semanal, é importante comparar os valores dos diferentes produtos porque você pode estar pagando mais sem saber disso. Um estudo recente da Organização de Consumidores e Usuários da Espanha revelou que a diferença entre fazer a compra no supermercado mais caro ou no mais barato é de cerca de 900 euros em média (na Espanha). E isso é extensível a outros bens duráveis, como automóveis que registram diferenças de até 24% dependendo do revendedor.

Se você está familiarizado com os meios digitais, é mais fácil usar ferramentas on-line de comparação de preços ao contratar serviços de telefonia, gás, eletricidade, seguros e adquirir eletrodomésticos. Há uma grande quantidade de sites que comparam de forma automática e que permitem medir a qualidade/preço dos bens e serviços desejados. Os melhores são Google Shopping Brasil, Buscapé, EconoVia, Zoom, BondFaro, JáCotei e Baixou.

Também é útil procurar catálogos para localizar as melhores ofertas, embora seja muito importante não comprar produtos que você não precisa apenas porque estão a um bom preço. Uma oferta que parece atraente hoje pode não ser tão atraente amanhã. Também é aconselhável buscar opiniões e análises de usuários que adquiriram o produto. Através de pesquisas simples na internet, é possível fazer compras inteligentes.

Uma vez selecionado o estabelecimento onde realizar a compra, evite gastar mais do que o esperado. O melhor truque é ir ao supermercado depois do café da manhã ou do almoço, para evitar que a fome cause compras compulsivas; embora o que nunca falha é manter uma lista previamente elaborada com base no orçamento e nas necessidades familiares. Se o que você precisa é renovar a geladeira, a televisão ou o telefone celular, espere as liquidações, aproveite o Black Friday ou busque descontos especiais em lojas e shoppings.
 

3. Usa a internet para comprar..., mas com cuidado

Utilizar a internet para fazer compras de bens e serviços é uma das melhores maneiras de economizar, mas você precisa ter cuidado porque a facilidade de adquirir produtos com um único clique pode transformar essa opção no pior inimigo da sua conta corrente. Plataformas como Amazon, em que o usuário recebe um monte de recomendações de produtos com base em compras anteriores, geram tentações contínuas que devem ser evitadas. No fundo, você precisa usar o mesmo critério que no consumo de outro tipo de tecnologia: com moderação e sem perder de vista o objetivo.

Além disso, existem sites que oferecem cupons de desconto, onde você pode economizar mais de 50% em certos produtos, como Cuponeria, Méliuz, Picodi, Ganhe de Volta, Groupon ou CupoNation. Há muitos outros que são descobertos com uma simples pesquisa no Google. Mesmo grandes plataformas, como Amazon e AliExpress, possuem programas de desconto que, no caso da primeira, incluem produtos para casa e de alimentação. Em alguns países da Europa, se você tem uma família numerosa também pode conseguir descontos exclusivos em compras.
 

4. Defina metas específicas

Outro truque para fazer um pequeno pé-de-meia é determinar que produtos ou serviços você deseja obter, descobrir seu preço e definir um objetivo específico para adquiri-los sem usar o cartão de crédito ou outro tipo de parcelamento. Ponha em um lugar visível em casa, no trabalho ou no carro uma imagem do que você deseja adquirir, portanto quando bater aquela tentação de comprar uma roupa ou um tênis – ou o celular de última geração –, pare e pense que é melhor não sucumbir a esse capricho para não perder a chance de alcançar seu bem desejado no futuro próximo.

Que percentagem do seu salário ou aposentadoria você deve poupar? Embora não haja uma resposta universal para todas as famílias, a quantia mínima que não se deve gastar por mês é de 10% da renda líquida, ou seja, 1 em cada 10 reais após todos os descontos na folha de pagamento. Se você não conseguir atingir esse valor, pode se contentar com 5%, mas não perca o objetivo: 10%. O importante é gerar o hábito de economizar.
 

5. Reduza as despesas em casa

Se finalmente você não conseguir poupar, apesar de seguir os quatro passos acima, não terá outra escolha: é hora de fazer uma auditoria familiar das despesas e reduzir o que for preciso para que não superar sua renda mensal de forma recorrente. Colocar um termostato para não consumir mais energia elétrica que o necessário, renovar os eletrodomésticos que consomem muito, rever o tipo de contrato que você possui com sua operadora de telefonia móvel e de TV a cabo, evitar refeições fora de casa e buscar atividades ao ar livre para a família – que não sejam caras – são ferramentas que permitem economizar sem muito esforço.