Como fazer uma compra segura?


A leitura vai levar 3 minutes

O comercio eletrônico mudou nossos hábitos de consumo. Cada vez mais, espanhóis adquirem produtos e serviços, exclusivamente, por esse canal. A quantidade e a frequência das compras aumentam consideravelmente. Mas compramos de forma segura pela internet? 


Poder comprar qualquer artigo, confortavelmente, de casa, recebê-lo pouco tempo depois, sem precisar se locomover, ter uma melhor experiência de serviço e a possibilidade de devolução pós-venda, fez com que o eCommerce se apresentasse, cada vez mais, como a forma preferida pelos usuários, inclusive para produtos de primeira necessidade.

Segundo o “Estudo anual eCommerce 2017”, realizado pela associação IAB Spain, 70% dos usuários web realizam compras pela internet. O motivo para se encantar com o comércio eletrônico são o preço (82%), as características do envio (79%), a confiança sobre a internet (77%) e o serviço pós-venda (76%). No entanto, os pontos que determinam qualquer transação online são o prazo de entrega – 38% dos espanhóis estão dispostos a pagar mais para reduzir o tempo de espera – e a segurança no pagamento, algo que preocupa a 76%. O que demonstra que o comprador digital está cada vez mais exigente.

As novas tecnologias vêm desenhando serviços de pagamento mais seguros, ao mesmo tempo que os bancos desenvolvem novas formas de transação para evitar roubos

Decálogo para comprar com segurança

  1. Equipamento sempre atualizado: o primeiro passo para realizar uma compra online segura é checar o equipamento por onde se efetuará o pagamento. É fundamental que o seu sistema operacional e os aplicativos estejam atualizados, já que se supõem uma defesa aos ataques de hackers. Também, é conveniente instalar um antivírus. Aqueles que são pagos contam, ainda, com suporte técnico.
  2. Conexão segura: quando usamos wi-fi público, como o das grandes lojas, aeroportos, trens, estamos expondo nossos dados pessoais. A informação viaja  livremente sem estar criptografada, o que permite que qualquer um possa acessá-la. Por isso, ao realizar uma compra online devemos usar uma rede wi-fi privada ou a internet do próprio celular.
  3. URL segura: os bancos e empresas que oferecem um serviço confidencial carregam um protocolo de segurança que aparece quando a sua URL começa por https, no lugar de http. A  Oficina de segurança do internauta (OSI) adverte que a informação que se troca na internet pode ser interceptada por qualquer um.  Por isso, se criou o protocolo https para criptografar os dados e evitar que sejam subtraídos. Na maioria das vezes, ele vem acompanhado do ícone de um cadeado verde. 
  4. Conheça o site da loja onde vai comprar: qualquer página que se preze deve ter um canal para contato, informar claramente sobre as condições de envio e os procedimentos a seguir, no caso de devolução do produto. Se não cumpre com essas três diretrizes, melhor não realizar a compra e evitar possíveis problemas no futuro.
  5. Pesquise sobre opiniões e experiências de outros usuários: é aconselhável fazer uma pesquisa para ler opiniões de outras pessoas e suas experiências nesse site. De fato, mais da metade dos usuários espanholes sinalizam que estes comentários influenciam na sua decisão de compra, o que faz com que as empresas os valorizem, pois dão muita credibilidade às suas marcas.
  6. Forneça o mínimo de informação: com frequência, observamos que pedem mais dados do que aqueles realmente necessários para realizar a compra, somente para terem mais informação sobre nós.  O motivo é que essa informação é muito valiosa para as empresas, que pagam quantias estratosféricas por ela.  
  7. Utilize serviços de pagamento (Gateway): a comodidade de pagar, sem ter que informar seus dados pessoais, junto com a segurança que o seu certificado de Segurança SSL oferece, faz com que dois de cada três usuários comprem através do PayPal, Amazon, eBay ou Aliexpress. Segundo estudos recentes, PayPal aparece como o canal preferido do eCommerce internacional.  
  8. Pagamento com sistemas de reclamação: os cartões de crédito e os gateways, citados anteriormente, contam com um seguro que devolve o dinheiro, em caso de fraude. Quanto aos gateways, pelo fato de atuar como intermediários, podem bloquear o pagamento imediatamente, diante de um problema.
  9. Conserve sempre as notas fiscais eletrônicas de qualquer transação: toda compra online deve ser acompanhada de uma nota fiscal, que possui a mesma validade legal que qualquer outra. Isso nos ajuda a reclamar sobre um produto com defeito, por exemplo, e como garantia.
  10. O que fazer diante de uma fraude ou roubo da conta? Reúna toda a informação possível, denuncie ao Grupo de Delitos Telemáticos da Guarda Civil e informe à Oficina de Segurança do Internauta (OSI), sob o Instituto Nacional de Cibersegurança (INCIBE). Toda informação é imprescindível nesses casos.

Algo que sempre devemos aplicar é o bom senso, que nos orienta a fugir das ofertas irresistíveis e das numerosas promoções que publicam na internet. Convém estar atento, especialmente, àqueles produtos oferecidos por particulares, em portais de segunda mão, que têm um preço bom demais para ser verdade. Uma simples busca pelo produto pode ajudar a descobrir o engano.

Para comprar de forma segura é preciso ter as mesmas precauções que adotamos, diariamente, no mundo digital.  É bom adotar senhas diferentes para cada conta, que sejam fortes, complexas e, também, trocá-las periodicamente. Se não podemos evitar a fraude que, pelo menos, possamos torná-las mais difíceis.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar