Tecnologia para proteger as empresas contra a fraude de identidade


A leitura vai levar 2 minutes

A IDWall é uma start-up brasileira que verifica documentos, identidades e informação pessoal usando algoritmos de inteligência artificial e análise de dados. Uma plataforma que cria laços de confiança na era dos negócios digitais

“Para mim, prosperidade significa fazer o que se ama e gerar impacto no mundo de uma maneira positiva.” Desta forma, o empreendedor brasileiro Lincoln Ando resume o espírito de sua plataforma IDWall, com a qual pretende solucionar um problema muito sério em seu país: a fraude na internet. Desde o início da sua carreira, em 2011, ele tem consciência das perdas geradas por esse tipo de delito. Por isso resolveu procurar um caminho inovador para proteger as empresas contra o roubo de identidades digitais.

Em 2016, nasceu esta start-up que reinventa a maneira de identificar os clientes e verificar os documentos pessoais a fim de otimizar o tempo e a eficácia dos processos. O Brasil é o país com maior proporção de usuários atacados por roubo de identidade (15,51%), seguido da China (14,77%) e Geórgia (14,44%), segundo cifras da Kaspersky Lab para o segundo semestre de 2018. Acudir à análise de dados e ao reconhecimento facial supõe uma revolução para as relações de confiança em um negócio digital.

Como funciona a IDWall?

Vamos dar o exemplo do processo de criação de uma conta bancária. Uma vez que o cliente entregue uma fotografia do seu documento de identidade tirada com um celular e uma selfie, as cerca de 80 pessoas que integram a equipe da IDWall verificarão com OCR (Reconhecimento Óptico de Caracteres) que o solicitante é o dono da identificação. Desta forma, o processo deixa de durar 15 dias (prazo habitual no Brasil) e é resolvido em poucos minutos.

Isso feito, comprovarão sua solvência acudindo a mais de 220 fontes de dados distintas, que incluem de listas de morosos a resoluções judiciais, cruzarão tal informação e calcularão uma taxa de risco do usuário em função do que ele tenha solicitado. O sistema de Lincoln Ando faz as empresas economizarem tempo de comprovação manual e sobretudo permite evitar possíveis perdas derivadas de delitos de fraude cibernético.

Essas tecnologias previnem casos de suplantação de identidade ligados a empréstimos falsos e até roubos no aluguel de veículos, além de automatizarem os processos das empresas, ao mesmo tempo em que melhoram a experiência do usuário. “Podemos saber mais sobre uma pessoa, e isto nos ajuda a democratizar o acesso a uma série de serviços”, diz Lincoln.

Hoje, mais de uma centena de empresas do setor tecnológico-financeiro (empresas de aluguel de veículos, bancos digitais, fundos de investimento e firmas em processo de fusões e aquisições) minimizam riscos graças ao sistema criado por Lincoln Ando, vencedor do Inovadores menores de 35 América Latina 2018 da MIT Technology Review em espanhol“Seguiremos criando novas tecnologias para dar acesso a mais serviços aos usuários no Brasil e depois em outros países”, ele promete.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

A mobilidade do futuro já está aqui

O futuro da mobilidade começa hoje. Em alguns poucos anos não vamos…

Prós e contras dos cinco carros elétricos mais vendidos

Eles não poluem nem fazem barulho e seduzem muitos motoristas. Os carros…