PHYSEC, a tecnologia que promete um ecossistema IoT invulnerável

Christian Zenger criou o sistema PHYSEC, que garante uma Internet das Coisas mais segura ao detectar pequenas mudanças nos sinais emitidos pelos dispositivos cifrados

A leitura vai levar 2 minutes

Christian Zenger criou o sistema PHYSEC, que garante uma Internet das Coisas mais segura ao detectar pequenas mudanças nos sinais emitidos pelos dispositivos cifrados


Transformar dados em valor tornou-se uma estratégia fundamental para as empresas e governos na era digital. Os usuários geram milhões de dados a cada dia, o intercâmbio de informação é constante, mas sem as suficientes garantias de privacidade e segurança este valor não será alcançado a longo prazo. Portanto, a confidencialidade é cada vez mais necessária para os modelos de negócio do futuro. Os alarmes, as câmeras de segurança e até os eletrodomésticos já estão conectados, mas haverá cada vez mais relação entre eles. Para garantir que a Internet das Coisas (IoT) seja segura, o engenheiro alemão Christian Zenger tornou-se um dos fundadores da PHYSEC.

“Criamos uma tecnologia única, na qual combinamos dispositivos físicos da IoT com verificações ou impressões digitais para melhorar a segurança destes dispositivos”. Para Christian, a técnica de criptografia empregada até hoje enfrenta um grande desafio, já que “seus procedimentos serão vulneráveis por conta da computação quântica, mais cedo ou mais tarde”. Porém, a sua tecnologia, que opera com sinais do mundo físico, não será afetada, pois é ilegível para este tipo de computação. Christian defende que as soluções devem evoluir, adaptando-se às inovaçõesdo mercado.

Ao contrário da criptografia clássica, esta tecnologia mede as características de propagação de ondas eletromagnéticas que são produzidas no entorno físico que rodeia um objeto. A informação obtida pela comunicação entre o emissor e o receptor permite gerar uma senha que blinda o dispositivo frente possíveis invasões.

E o consegue pois a pessoa que faz o ataque não forma parte do sistema físico e não pode ler as mudanças eletromagnéticas do exterior. A PHYSEC permite verificar a autenticidade, integridade e/ou condição física de quase qualquer dispositivo da IoT. Se alguém atacasse ou alterasse fisicamente esses objetos, seria imediatamente perceptível graças ao controle remoto exercido por este sistema.

Christian Zenger foi um dos vencedores dos prêmios Inovadores Menores de 35 Europa 2018 da MIT Technology Review en espanhol. Além disso, sua empresa foi reconhecida pela Fundação Horst Görtz como a mais inovadora e relevante da Alemanha no âmbito da segurança. Aliás, ela colabora com a Universidade de Harvard e a Universidade de Princenton em uma tecnologia que servirá para verificar o desarmamento nuclear dos países sem exigir a supervisão de um terceiro não envolvido no processo. Portanto, não serão necessários controladores externos, pois esta tecnologia garantirá que a posição e o estado do armamento sejam previamente combinados.

Neste caso, eles incorporam no silo onde se armazenará o armamento nuclear uma série de espelhos que rodeiam o objeto. Esta manobra permite que a onda de segurança rebote entre eles, criando um trajeto único, que seria alterado caso a cabeça nuclear se movesse. No caso de uma alteração, surge a evidência de que uma das partes não está cumprindo o acordo.

Este especialista em segurança de tecnologias da informação e da comunicação, que também é pesquisador pós-doutoral da Universidade Ruhr de Bochum, reflete sobre a necessidade de conscientizar a população sobre temas de segurança cibernética: “Não é suficiente pensar que ninguém estará interessado nos seus dados, todos somos vulneráveis neste sentido.” Christian Zenger considera fundamental que estes avanços sejam acompanhados de comportamentos responsáveis por parte dos internautas, para evitar que se exponham.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Spyware, o vírus que ameaça sua privacidade

El spyware o programa espía recopila datos personales para después utilizarlos con…

O que fazer quando se passam por você, na internet

Todos temos um perfil em alguma rede social, algo aparentemente inocente, mas…

Acabando com os mitos: como evitar os vírus informáticos

Em 2017, o vírus “WannaCry” colocou empresas importantes, em todo o mundo, sob controle e fez tremer os usuários domésticos do planeta. Ele aproveitou uma falha no Windows para realizar um ataque que desativou os dispositivos e pediu grandes somas de dinheiro em troca de sua liberação.