Pesquisa: a chave para melhorar a sociedade

Saber identificar, gerenciar e promover talentos é o que faz a diferença entre empresas de sucesso e aquelas que serão condenadas à estagnação.

A leitura vai levar 3 minutes

Brenda Juárez foi uma das 30 participantes da XVI edição do programa Jovens Líderes Ibero-americanos, promovida pelo Banco Santander e Fundação Carolina, dirigida a estudantes universitários com excelente histórico acadêmico, entre mais de 300 universidades públicas e privadas em toda a região.


Saber identificar, gerenciar e promover talentos é o que faz a diferença entre empresas de sucesso e aquelas que serão condenadas à estagnação.

Por esse motivo, empresas estão lançando programas e iniciativas para que os mais jovens tenham a oportunidade de demonstrar suas habilidades e competências e consigam conquistar uma posição no mercado de trabalho.

Uma das empresas comprometidas com essas iniciativas e com o apoio ao ensino superior, se posicionando como uma entidade responsável, é o Banco Santander, que, através do Santander Universidades, em conjunto com a Fundação Carolina, organizou a XVI edição do programa Jovens Líderes Ibero-americanos.

Esse projeto, pelo qual já passaram 650 jovens talentos menores de 27 anos – 31 na última edição – busca fomentar a reflexão, debates e gerar redes de liderança ibero-americanas. Também, promove o compromisso com os valores e princípios que sustentam a Comunidade e com a Agenda 2030, como um horizonte de progresso.

Graças ao programa desenvolvido entre Madri, Bruxelas e Santander, os participantes foram protagonistas de conferências, reuniões e visitas, em uma intensa agenda de imersão social na realidade espanhola e europeia. Tiveram, ainda, a oportunidade de se encontrar com ministros, com altos cargos da administração pública e com executivos de empresas de renome internacional.

Um dos grandes eventos anuais ​​é a recepção dos jovens líderes ibero-americanos pelo rei Felipe VI, no Palácio da Zarzuela.

Brenda Juarez e seu sonho de melhorar a vida das pessoas

A entidade presidida por Ana Botín mantém um firme compromisso com o Ensino Superior, como parte das suas atividades no papel de banco responsável; através do Santander Universidades. Destacada como a empresa que mais investe em educação no mundo (Report Varkey / UNESCO – Fortune 500), já fechou 1.200 acordos de colaboração com universidades e instituições, em mais de 20 países.

Desde 2002, destinou mais de 1,7 bilhões de euros a iniciativas e programas acadêmicos. Somente em 2018, concedeu mais de 73.000 bolsas e suporte aos estudos com o objetivo de contribuir para o progresso de pessoas, empresas e sociedade. Esse apoio promove o acesso ao ensino superior valorizando a igualdade de oportunidades e a inclusão, o incentivo ao empreendedorismo universitário e à empregabilidade dos jovens.

Para reconhecer o trabalho e mostrar seu apoio aos Bolsistas do Santander, a entidade lançou uma série de 10 entrevistas chamada “Conversas sobre Progresso com #BecariosPro”.

Depois do jovem sírio apaixonado por cinema, Majed Andiwi, e Angélica Partidaes, agora é a vez de Brenda Juárez, um nome que brilha, quando se trata de reconhecer e impulsionar talentos.

Brenda é uma jovem mexicana que estudou Engenharia de Bioprocessos na Universidade Autônoma de San Luis Potosí, no México, uma carreira que busca novas alternativas para a geração de diferentes produtos na área farmacêutica, química e alimentícia utilizando microrganismos como fábricas celulares.

Seu projeto final de graduação focou na produção de dois biocombustíveis (hidrogênio e etanol), com o objetivo de encontrar novas alternativas energéticas que não contribuíssem para as mudanças climáticas e que preservassem o meio ambiente. Brenda usou algumas cepas (população) de bactérias que obtiveram resultados fantásticos.

Ela quer transferir seu conhecimento, principalmente, para a área farmacêutica visando combater as doenças que já existem e as que ainda virão. “Devemos começar a usar essas fábricas celulares para produzir medicamentos mais personalizados que possam ajudar diretamente cada uma das pessoas”, diz ela.

Brenda foi uma das 31 selecionadas para participar da XVI Edição do programa Jovens Líderes Ibero-americanos, buscando uma imersão social, política e cultural na Espanha e a cooperação entre todos os países da região.

Durante sua estada no país e, graças ao programa, Brenda teve a oportunidade de visitar diferentes instituições, universidades, empresas e até, como seus colegas, ser recebida pelo rei Felipe VI.

O que ela mais valorizou dessa experiência foi a abertura e a possibilidade de alcançar novas oportunidades que surgem, bem como a riqueza de conhecimento obtida com a participação nas atividades propostas e na troca de opiniões com os parceiros do programa. “Isso nos permite gerar uma rede de colaboração entre cada um de nós e que, no futuro, quando retornarmos aos nossos países, poderemos contar com o apoio de todos”.

Brenda quer terminar seu mestrado em biotecnologia no exterior, especificamente na Universidade de Wageningen, na Holanda. “Acho que esse país tem um sistema educacional muito interessante porque, além de permitir que você se aproxime da área de pesquisa, oferece a possibilidade de estágios”.

Para aqueles que planejam estudar no exterior e se candidatar a bolsas de estudo, como as do Jovens líderes ibero-americanos, Brenda tem uma mensagem muito clara. Eu diria que se arrisquem, mesmo que considerem difícil se selecionado. Nunca se sabe. Você precisa procurar as oportunidades e aprender a conquistá-las. Em um mundo globalizado, a experiência internacional é fundamental”, conclui.

 

Todas as informações sobre os programas do Bolsas Santander estão disponíveis em https://www.becas-santander.com/pt

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Estudar no exterior, fundamental para o futuro profissional e pessoal

E as empresas valorizam de forma positiva que seus futuros funcionários estudem além das suas fronteiras. O Banco Santander é uma delas, através das bolsas de estudo ProUni.

Pesquisa e desenvolvimento: o futuro de cada vez mais estudantes

A formação e o desenvolvimento sempre andaram de mãos dadas e, nos últimos tempos, ainda mais.