Silicon Valley: no coração do berço do empreendedorismo

Os 54 jovens empreendedores finalistas do Prêmios Explorer do Banco Santander estão prestes a terminar sua aventura no Vale do Silício antes de retornar à Espanha e saber se são os vencedores.

A leitura vai levar 3 minutes

Os 54 jovens empreendedores finalistas do Prêmios Explorer do Banco Santander estão prestes a terminar sua aventura no Vale do Silício antes de retornar à Espanha e saber se são os vencedores. Uma semana no berço da inovação e do empreendedorismo foi suficiente para mudar suas vidas e visão profissional.


A última edição do programa Explorer, Jovens com Ideias do Banco Santander chegou ao seu ápice. Os empresários mais promissores da Espanha vão concluir sua temporada no Silicon Valley, o berço da inovação, localizado na Baía de São Francisco.

Sete dias em que eles absorvem o autêntico espírito empreendedor, visitando gigantes tecnológicos como o Facebook ou o Google e participando de palestras e sessões de mentoring de personalidades muito importantes no mundo do empreendedorismo.

Os jovens Explorer tiveram a oportunidade de defender seus projetos diante dos autênticos “tubarões” do Silicon Valley, dos quais receberam conselhos para progredir e melhorar pessoal e profissionalmente.

Um dos jovens que teve a oportunidade de viver essa experiência foi Rubén Martín, que, juntamente com seu parceiro Ramiro Sánchez, desenvolveu o InMyHand, um exoesqueleto biônico que permite às pessoas que perderam a mobilidade em uma mão voltar a usá-la normalmente. Além disso, com essa peça, o usuário pode realizar exercícios e controla-lo com muita facilidade ou através de um aplicativo móvel.

São 16:15 em Madri, 7:15 na Baía de São Francisco. Faz uma hora que Rubén começou seu dia. O ritmo aqui é diferente. Tudo é feito mais cedo ”, conta, por telefone.

No entanto, ele se levanta animado. Depois de vários dias visitando instalações e recebendo aulas e palestras, nesse dia eles vão conhecer o Facebook. Eu nunca imaginaria estar aqui. Ganhar a edição local dos Prêmios Explorer e vir ao Silicon Valley é um sonho. Para mim, que sou engenheiro informático, chegar à meca da inovação é muito emocionante”, confessa.

Quando lhe pedem para resumir sua experiência em uma palavra ou uma frase, Rubén responde claramente: É um mundo totalmente diferente do que conhecemos. Seu conceito de trabalho é diferente daquele que temos na Espanha e na Europa. Não importa o que você tenha estudado, sua faculdade ou o que você saiba. O essencial é que você tenha entusiasmo e vontade de fazer as coisas e aprender. ”

Até agora, a visita que mais o impressionou foi a do Google, onde eles tiveram a oportunidade de conversar com os funcionários. “É um exemplo do que eu comentei antes. Existem pessoas ali que não estudaram nada relacionado à tecnologia e assumiram cargos por causa do seu desejo, talento e entusiasmo em aprender”, explica ele.

Da mesma forma, não faltaram sessões de mentoringcom empresários espanhóis, que trabalham na meca da inovação, especialmente focadas na diferença entre o mercado de trabalho europeu e o americano. Tudo aqui é grande. É muito comum pedir empréstimos, já de cara, de um ou dois milhões de dólares e, também, é muito importante ter claros os números e a estrutura necessária. ”

A diferença sobre o conceito de “empreendedorismo” nos Estados Unidos é tal que Rubén surpreende com suas afirmações: “Toda a minha formação foi centrada em um campo específico. Quando se chega no Silicon Valley, se pensa: “Bem, é melhor eu esquecer o que aprendi e ouvir o que eles me dizem aqui”, explica ele, brincando. “O importante no Silicon é saber como se vender e vender a sua ideia, para que os investidores olhem para você”.

Além de uma experiência profissional, ela, também, é pessoal. São os 54 melhores jovens empreendedores da Espanha em 2019, com ideias e sonhos, vivenciando uma semana no berço do empreendedorismo. A convivência é magnífica. Somos muitos e é normal que nos dispersemos um pouco, mas, geralmente, vamos a todas as atividades juntos e aproveitamos para conversar, compartilhar nossos projetos e experiências. Nós aprendemos muito um do outro”, ele conta.

Com a entrega dos prêmios Explorer nessa sexta-feira, Rubén já pensa em tornar seu projeto InMyHand uma realidade e com prazos muito claros e concretos. “Espero que em quatro ou cinco anos nosso produto já esteja no mercado espanhol, seja validado por médicos e reconhecido por toda a sociedade. Minha experiência no Silicon Valley me fez abrir a mente. Sonho em voltar aqui um dia, se a startup funcionar bem. O positivo é que, hoje, eu já sei o que devo fazer para me destacar ”, conclui.

Programa Explorer: um compromisso com a inovação e com os jovens talentos

O programa Explorer Jovens com Ideias é promovido pelo Banco Santander, através do Santander Universidades e coordenado pelo Centro Internacional Santander Empreendimento (CISE). Desde o seu lançamento em 2011, o compromisso do Banco Santander com a inovação e o talento jovem incentivou projetos de mais de 6.000 jovens e apoiou a criação de mais de 600 empresas. Somente nesta edição, a iniciativa ofereceu formação e mentoring a um total de 1.812 estudantes universitários.

O programa é desenvolvido no Santander X, a plataforma global de empreendedorismo universitário que visa apoiar o compromisso das universidades com o empreendedorismo, a partir de uma perspectiva global e interconectada, com o objetivo de contribuir para o progresso de pessoas, empresas e sociedade.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Startup house: desenvolvimento de projetos Santander vivendo em comunidade

Bem-vindos ao Silicor Valley. Um chalé com piscina, em Córdoba. Bem que poderia ser a casa dos sonhos de uma família ou uma reunião de amigos para escolher o próximo destino das férias.

Ser mulher e empreendedora, uma entrevista com Alicia Asín

Alicia Asín, CEO e cofundadora da Libelium, foi a primeira mulher a receber o Prêmio Rei Jaime I ao Empreendedor. Para ela, é fundamental ensinar às meninas (desde a creche) que podem alcançar qualquer coisa.

Humanizando hospitais argentinos através da arte

Milena Castellarin, nascida em Córdoba, desenvolve iniciativas artísticas que tentam oferecer cenários criativos para diferentes centros de saúde.