5 razões para as PME usarem a nuvem


A leitura vai levar 5 minutes

Os empreendedores precisam implantar a tecnologia para manter o nível de produtividade das grandes empresas. O sucesso estaria, assim, garantido tanto para os empresários quanto para toda a economia.

Em todos os países e, especialmente, nas economias emergentes, as pequenas e médias empresas (PME) representam o grupo profissional mais importante. As PME, no Brasil, somam 99% das empresas do país, com um total de 8,5 milhões de empresas (52% dos empregos). No México, já são 4,2 milhões, ou 78% da força de trabalho.

Mas os pequenos empresários estão ficando para trás. Tanto no Brasil quanto no México, as PME lutam para continuar produtivas. Segundo Mckinsey, no México, a produtividade aumentou 5,8% ao ano nas maiores e mais modernas empresas, mas caiu 6,5% nas pequenas empresas. Pequenos negócios com 10 ou menos trabalhadores registraram produtividade igual à das grandes empresas, em 1999, com 28%, mas em 2009 a produtividade caiu para 8%. Esta é a maior diferença na produtividade profissional entre os membros da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Ao mesmo tempo, as PMEs brasileiras alcançam somente 30% da produtividade das grandes empresas, número que as PMEs mexicanas não conseguem melhorar.

Como um empreendedor, é provável que você se sinta tão sobrecarregado para avançar que não encontre tempo para se dedicar às tecnologias de ponta. Mas as ferramentas digitais podem trazer grandes benefícios, já que melhoram a comunicação e a informação e dariam acesso a mercados maiores, incluindo o comércio internacional.

Você não precisa ser um especialista. Na verdade, uma das maneiras mais simples de usar a nova tecnologia é através da nuvem (cloud), que permite às empresas acessala gradualmente, sem que isso implique em um grande investimento. Você provavelmente já usou: redes sociais e e-mail são baseados na nuvem.

As PMEs mexicanas captaram a mensagem: 46% a usam, em comparação com 3,5%, cinco anos atrás. Em uma pesquisa recente, 33% das PMEs mexicanas afirmaram que usam os serviços da nuvem, enquanto que 41% previram usa-la nos próximos três anos, o que significa um aumento de 22%. No Brasil, espera-se que estes serviços e conteúdo móvel cresçam de 3 a 7 vezes mais rápido do que a tecnologia tradicional por computador, com um investimento em informática, por parte das PME, que vai atingir 63.000 milhões de dólares em 2020, 37% a mais desde 2016.

Apesar de oferecer alguns benefícios surpreendentes, a maioria das PME ainda não usa a nuvem. No Brasil, 70% delas não a utilizam. Uma implementação rápida pode trazer eficiência para sua empresa, bem como uma vantagem competitiva.

Apresentamos mais motivos pelos quais você considere o uso da nuvem:

  1. É econômico e flexível.

Os serviços na nuvem são expansíveis, o que significa que você paga apenas pelo que usa. Se sua empresa precisar fazer o download de um contrato grande e exigir mais armazenamento digital, por exemplo, você poderá obtê-lo instantaneamente sem ter que sair e comprar computadores ou servidores. Também pode reduzir os serviços ou até ter um pagamento mensal, como a eletricidade, que ajuda a prever seu fluxo de caixa. Além de não ter que pagar pela equipe de suporte de tecnologia, a nuvem pode reduzir suas despesas de software e hardware em 40% e o consumo de energia em 80%.

  1. É fácil.

A nuvem não apenas oferece armazenamento de arquivos, conhecido como Iaas (infraestrutura como um serviço), mas também atua como uma plataforma de serviço (PaaS) através da qual você pode desenvolver aplicativos. E ainda dá a oportunidade de acessar o software como um modo de serviço (Saas), no qual as atualizações acontecem em segundo plano sem qualquer esforço de sua parte. E você não precisa se preocupar com manutenção técnica.

  1. É móvel.

Você pode acessar os serviços da nuvem de qualquer lugar, esteja você viajando ou seus funcionários trabalhando remotamente. Você pode controlar o desempenho de sua empresa a partir do computador do escritório ou do telefone residencial (não é necessário sincronizar os dispositivos). Você só precisa estar conectado à Internet.

  1. É seguro.

Provedores de serviços em nuvem trabalham muito para garantir que seus sistemas sejam seguros e que as atualizações sejam feitas imediatamente. Da sua parte, você tem que ficar alerta para o risco de phising ou a presença de vírus, caso entre em sites maliciosos. Outro aspecto da segurança a ter em conta é o geográfico. Se acontece um incêndio ou uma inundação em sua empresa, você poderá perder seus computadores, mas não as informações armazenadas em outro local ou, pelo menos, uma cópia (ou backup).

  1. Mais do que armazenamento.

Os serviços em nuvem existem por vários motivos comerciais, como contabilidade ou análise de informações relacionadas a clientes, evitando a necessidade de pessoal técnico.

-O software de planejamento de recursos empresariais (ERP, sua sigla em inglês) está entre os serviços em nuvem mais populares para as PMEs. Este software começou como pacotes completos para as grandes empresas, mas atualmente versões simplificadas já foram desenvolvidas para as pequenas. Como os serviços estão na nuvem, você não precisa instalar nada, apenas registre-se. Da mesma forma, o software ERP coloca um grande número de aspectos importantes da sua empresa em um painel muito visual e fácil de ler. Compartilhar informações em toda a sua empresa e aumentar a produtividade são outras vantagens. Também permite incorporar regulamentações, impostos ou outras leis, por exemplo, quando as faturas são geradas.

O CRM é outra forma de software que inicialmente era destinado a grandes empresas, mas que agora está disponível, mais simplificado, para as pequenas, inclusive através da nuvem, como Saas. Este software fornece assistência às empresas para que elas possam rastrear o contato com o cliente, gerar liderança de vendas, fazer previsões e automatizar o fluxo de trabalho, por exemplo, enviando relatórios ou acompanhamentos. Algumas empresas também podem montar um call center ou um programa de fidelidade.

No Brasil, 43% das PMEs não possuem um banco de dados de clientes. No México, apenas 3% das PMEs têm um procedimento através do qual podem entender melhor seus clientes.

-O e-commerce é uma ferramenta importante que disponibiliza às PMEs o acesso aos mercados internacionais de forma simples e relativamente barata. A força das PMEs é a sua própria capacidade de se diferenciar em mercados especializados. No entanto, às vezes, esses mercados tendem a ser muito reduzidos dentro do país. O e-commerce coloca as PMEs em contato com um número muito maior de clientes, o que é especialmente útil no México, onde muitas PMEs já exportam. No outono passado, o governo mexicano assinou um pacto com a “Alibaba”, a gigante comercial chinesa, para dar às PMEs mexicanas uma melhor exposição no mercado chinês. Através da nuvem, o comércio eletrônico armazena seu site para que você não precise guarda-lo em seus próprios computadores. Embora os sites possam se tornar um tesouro de dados sobre as pessoas interessadas em seus produtos, apenas 34% das PMEs brasileiras usam a Internet para promover seus produtos.

– Através de uma série de aplicações e plataformas de finanças digitais, as PMEs podem rastrear alguns dados sobre a variação das vendas, lucratividade, dados de clientes, de pontos de venda etc. Alguns, inclusive, solicitam ações automaticamente quando as mercadorias são vendidas. Alguns bancos incluem esses aplicativos por meio de contas bancárias digitais. No México, o Banco Santander já possui 127.000 PMEs que usam serviços digitais.

– Os pagamentos digitais estão crescendo rapidamente no Brasil e no México. Se você fizer suas transações de vendas em dinheiro, não estará construindo um histórico que o credor possa revisar para lhe conceder um empréstimo com o fim de investir em modernização ou expansão. E tampouco manterá um registro de vendas (não apenas um registro do número de vendas, mas também onde, quando e para quem foram feitas).

Se tudo isso é complicado para você, não se preocupe: os terminais bluetooth vinculados a aplicativos móveis ou no tablet são mais baratos e mais flexíveis do que os leitores de crédito que eles substituem. É a onda do futuro: o número de usuários com contas bancárias aumenta rapidamente no México e no Brasil, devido a todas as contas móveis e digitais. Por exemplo, “iZettle”, uma plataforma de ponto de venda móvel, ofereceu leitores de cartão, no México, graças à colaboração com o Banco Santander.

Recursos en Brasil:

Portal brasileiro de e-commerce: https://www.ecommercebrasil.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Estes são os 5 empregos mais pagos na Espanha em 2017

O mercado de trabalho nem sempre é fácil, mas algumas profissões podem…