Texto

O trabalho invisível das ONGs locais

Ajudar essas organizações e torná-las conhecidas é essencial. Por isso, há muitos que trabalham por essa causa, incluindo o Banco Santander.

A leitura vai levar 2 minutes

O enorme esforço dessas organizações transforma um pequeno gesto em uma importante ação para aqueles mais desfavorecidos.


É muito comum ver pessoas, especialmente os jovens, parados na rua, na saída do metrô, com uma pasta na mão e muita paciência, tentando chamar a atenção daqueles que passam por ali. Eles pedem para que colaborem com a ONG na qual atuam. É um trabalho muito ingrato e pouco reconhecido.

A colaboração da sociedade é essencial no trabalho realizado por essas organizações locais. De acordo com o Relatório da Coordenadora de ONG para o Desenvolvimento, elas recebem apoio de mais de 2,3 milhões de pessoas e entidades, sejam fundos públicos, privados ou contribuições particulares. 77% dos recursos arrecadados são utilizados para ações humanitárias nos países em que operam. O resto fica na Espanha, destinado à educação para a cidadania global, à captação de parceiros e de doações e à manutenção da estrutura.

A importância desse apoio

Ajudar essas organizações e torná-las conhecidas é essencial. Por isso, há muitos que trabalham por essa causa, incluindo o Banco Santander, por meio da sua Fundação. No ano passado, ambos anunciaram que, através do programa Santander Ayudamais de um milhão de euros foram destinados a apoiar as comunidades mais vulneráveis, nos últimos três anos.

Graças às suas quatro convocatórias, o programa aporta 400.000 euros, por ano, à cerca de 80 projetos nacionais. Estes são alguns dos menos conhecidos.

Fundación el Xiprer (Granollers)

Esta fundação é um centro voltado ao acolhimento e à dignidade para os mais vulneráveis. Oferece alimentação, um local para abriga-los e refeitórios comunitários. Tratam-se de pessoas que têm condições de trabalhar, porém não podem fazê-lo, seja por marginalização ou por problemas de documentação. Além disso, a fundação oferece chuveiros para aqueles que não podem cobrir suas necessidades básicas de higiene.

Viagem Tumaini (Madri)

Facilita a realização de viagens solidárias, voluntariado e práticas internacionais. Seu objetivo é funcionar como um ponto de encontro de voluntários que desejam colaborar com iniciativas em todo o mundo. Eles ajudam a escolher o projeto, auxiliam no trâmite da documentação para viajar e oferecem treinamento. Dessa forma, estarão bem orientados, para que o trabalho seja o mais proveitoso possível.

Avismón (Barcelona)

Concentram-se nas necessidades dos idosos, especialmente aqueles com mais de 80 anos, que vivem sozinhos, não têm família ou estão longe dela e recebem uma pensão muito baixa. O voluntário da organização vai, pelo menos uma vez por semana, à sua casa, lhes ajuda e lhe acompanha em suas atividades.

APRAMP (Madrid)

A Associação para a Prevenção, Reintegração e Atenção às Mulheres Prostituídas trabalha com o objetivo de que as vítimas de exploração sexual recuperem sua liberdade e dignidade e possam seguir com suas vidas. O trabalho do APRAMP contribui para prevenir e erradicar a exploração e o tráfico sexual, através da detecção e identificação de vítimas e do aconselhamento voltado para a reintegração social e laboral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Lâmpadas LED e banco sem papel: uma corrida contra o tempo para enfrentar a mudança climática

O Santander se comprometeu com um futuro mais sustentável. Há alguns anos, lançou um plano de eficiência que reduziu a pegada ambiental do grupo e envolveu os funcionários na diminuição do consumo e reciclagem.

Uma volta ao mundo para se adaptar aos novos modelos de trabalhos

Cada vez mais, as empresas estão transferindo parte do seu talento às suas filiais em outros países, para que possam viver uma experiência internacional.