A importância de reconhecer o bom trabalho dos colegas

Mais e mais empresas praticam a cultura do reconhecimento, incluindo o Banco Santander, com ferramentas como o StartmeUp.

A leitura vai levar 3 minutes

As empresas são feitas de pessoas. E as pessoas crescem graças ao reconhecimento, que pode vir dos chefes, mas, também, dos seus colegas. Portanto, mais e mais empresas praticam a cultura do reconhecimento, incluindo o Banco Santander, com ferramentas como o StartmeUp.


Foi demonstrado que destacar o positivo tem grande poder no estado de ânimo de uma pessoa. Todos gostamos de ouvir sobre aquilo que fazemos bem, que nos reconheçam pelo bom trabalho realizado e, por que não, sermos recompensados por isso, algo que acontece em todas as áreas da vida pessoal e profissional. Porém, é neste último onde somos menos reconhecidos.

De acordo com o Índice de Reconhecimento na Espanha, preparado pela Amstel e pelo Instituto de Pesquisa MyWorld, 8 em cada 10 participantes acham que os espanhóis não se sentem reconhecidos no trabalho. 80% dos entrevistados acreditam que no campo do trabalho os erros são mais destacados que os acertos. Cerca de dois terços reconhecem que nos custa muito parabenizar um chefe por seus sucessos e elogiar um colega por um trabalho bem feito. Apenas metade dos espanhóis (50,3%) acredita que merece reconhecimento. Este estudo também revela que a inveja é a segunda razão, depois da falta de hábito, para explicar o não reconhecimento.

Por outro lado, este relatório também destaca que leva 20 vezes mais tempo para arquivar o que é bom do que o que é ruim, uma vez que estudos garantem que a resposta do cérebro a estímulos negativos é mais forte e que achamos mais inteligente dizer o negativo do que o positivo.

Por tudo isso, fica claro que as empresas precisam estar cientes da importância de implementar práticas que valorizem a cultura de reconhecimento. Porque se somos reconhecidos sobre o que fazemos bem, seremos mais felizes e mais predispostos e, portanto, o desenvolvimento do nosso trabalho será consistente com o nosso estado de ânimo. Um experimento conduzido pelos psicólogos Robert Emmons e Michael McCullough revelou que os grupos que demonstraram gratidão ficaram mais felizes, mais otimistas em relação ao futuro, com melhor saúde física e até se exercitando mais.

Não se trata de dizer o que uma pessoa quer ouvir, mas, sim, a maneira de transmitir energia aos funcionários, um estímulo, uma motivação que os ajude a alcançar seus objetivos, independentemente de seu status e que, portanto, gere um impacto positivo nos lucros da empresa. Nesse ponto, é importante ter em mente que o reconhecimento promove comprometimento, um sentimento de pertencimentoe gestão de equipes.

Reconhecimento como fórmula de gestão de talentos

A transformação digital e a gestão de talentos são dois pontos fundamentais para a competitividade, que andam de mãos dadas e que estão obrigados a se entender. A verdade é que, há muito tempo, a revolução digital está forçando as empresas a repensarem sua forma de trabalhar e, consequentemente, a gestão de talentos, algo que afeta diretamente as políticas que se enquadram na cultura de reconhecimento.

As empresas estão se tornando cada vez mais conscientes de que reconhecer o bom desempenho de seus funcionários gera um bem-estar que os inspira e os leva a fazer as coisas ainda melhor. Algo que, a longo prazo, acaba impactando positivamente os resultados financeiros da empresa.

É o caso do Banco Santander que, dentro das políticas de experiência dos funcionários, está comprometido em manter suas equipes motivadas como aspecto fundamental para garantir seu compromisso e sucesso na hora de contribuir para o progresso das pessoas e das empresas. Para esse fim, foram adotadas medidas que incentivam a escuta, conciliando a vida pessoal e profissional e um ambiente de trabalho saudável e gratificante.

StartmeUp é uma dessas iniciativas. É uma rede de reconhecimento internacional que permite aos funcionários avaliarem aqueles que dão o exemplo. No total, desde que essa iniciativa foi lançada, os funcionários do Grupo já deram mais de 1,5 milhão de estrelas do StarMeUp, que representam os valores da empresa, a outros colegas. No ano passado, foram mais de 132.000 usuários ativos, 11% acima da meta estabelecida durante os primeiros meses de 2018 e 689.000 foram premiados.

Além de ser usada para reconhecimento entre colegas, essa ferramenta ajuda a entidade a disseminar sua cultura corporativa e a detectar quais são os melhores talentos para desenvolver cada tarefa. Isso foi reconhecido pela presidente do Grupo, Ana Botín, no momento de sua implementação: “Essa ferramenta nos permitirá entender o que fazemos melhor e quais áreas precisamos reforçar“.

Os números favoráveis ​​incentivam o Banco Santander a se auto desafiar com o incremento do percentual de usuários até atingir o número total de funcionários, que todos usem a quantidade mensal de estrelas disponíveis e que interajam na plataforma em diferentes níveis, como explica Miguel Ángel Dorado Barra, diretor de Cultura e Compromisso da entidade: “Há um fenômeno em que quem recebe mais estrelas também é muito proativo em premiá-las, o que mostra o nível de feedback da plataforma“.

Embora exista um número importante de iniciativas desse tipo, na mesma linha que o StartmeUp está o Guudjob, uma plataforma criada por um grupo de empresários espanhóis para avaliar o trabalho dos profissionais, em tempo real e de forma digital. O objetivo desta ferramenta é melhorar o crescimento profissional das pessoas, por meio de avaliações e opiniões de clientes e colegas

Dizem que em nosso dicionário há mais palavras negativas do que positivas e que prevalecem os chefes que não valorizam o trabalho bem feito. Portanto, nos perguntamos como podemos mudar essa situação. A resposta é simples: recompensar os melhores profissionais, descobrir talentos ocultos, manter lealdade aos funcionários, enfim, promover a meritocracia. São objetivos perseguidos por empresas, como o Banco Santander, que merecem lugar de destaque na cultura do reconhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Igualdade de oportunidades na seleção de profissionais

A ferramenta ResumeNets, finalista do Explorer Awards, permite que consultores e departamentos de RH automatizem a filtragem de currículos.

Mulheres vítimas de violência sexista que se tornam sobreviventes

A Fundação Ana Bella ajuda mulheres que são maltratadas a se reintegrarem à sociedade.