Pensamento colaborativo para gerar a melhor inovação

Daria Tataj pensa em um modelo de inovação baseado na colaboração coletiva com o intuito de explorar ao máximo o talento e os recursos

A leitura vai levar 1 minutes

A assessora da Comissão para Pesquisa e Inovação da União Europeia, Daria Tataj, pensa em um modelo de inovação baseado na colaboração coletiva com o intuito de explorar ao máximo o talento e os recursos. 

Por Opinno, editora de MIT Technology Review en español 

Nos últimos anos, a necessidade de inovar disparou entre empresas, organizações e governos com o objetivo de melhorar sua produtividade, gerar valor e manter-se na vanguarda das últimas tendências. Segundo dados do relatório European Innovation Scoreboard 2018, desde 2010 a inovação na União Europeia aumentou 5,8 pontos percentuais, e a tendência é de alta.  

Porém, com o auge da inovação e a pressão para adaptar-se a este mundo em constante mutação, perdemos o foco em como abordá-la da melhor forma. A proposta da assessora de alto nível da Comissão para Pesquisa e Inovação da União Europeia, Daria Tataj, é que a inovação mais eficaz não pode ser alcançada de maneira individual, pois passa por criar um modelo baseado em uma rede coordenada de centros de pesquisa, universidades e negócios. 

A definição mais usada de inovação faz referência a novos produtos e serviços, mas eu penso de uma forma um pouco diferente, acredito ser um processo de aprendizagem colaborativa, diz Daria.  

Ela chama essa aprendizagem colaborativa de network thinking, pensamento em rede onde as camadas de cooperação se superpõem e permitem que o talento, a capacidade das equipes e os recursos (incluíndo os tecnológicos) permeem as empresas. Daria Tataj não tem dúvida: Precisamos colaborar, conectar e aprender juntos a nos transformar em inovadores.  

Seu modelo se sustenta em anos de experiência no Instituto Europeu de Inovação e Tecnologia e na criação de sua própria empresa global de aprendizagem colaborativa, a Tataj Innovation, que dirige atualmente desde Barcelona (Espanha), ajudando indústrias e governos a inovar melhor e mais rápido.  

Tal conhecimento é parte do seu livro Innovation and Entrepreneurship: A Growth Model for Europe Beyond the Crisisno qual analisa como sãlevadas a cabo a inovação e os empreendimentos nos Estados Unidos, na China, e especialmente na Europa, para entender qual é a melhor maneira de replicar centros de inovação grandes e de êxito. 

Daria Tataj foi conferencista na edição anterior da EmTech Europe 2018 organizada pela MIT Technology Review em espanholonde abordou as questões-chave do modelo de inovação que propõe e analisou diversas propostas para concluir com uma frase esssencialDeveríamos pensar, de forma crítica, se a inovação que criamos realmente torna o mundo um lugar melhor“. Daria Tataj trabalha para que isso se torne realidade.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Serviços bancários inclusivos: como a tecnologia está eliminando o hiato

Ter acesso a serviços financeiros eficaz é crucial para o desenvolvimento econômico, além de ser um elemento importante nos esforços para erradicar a pobreza. 

Apoio econômico, fundamental para a pesquisa oncológica

A Fundação Intheos ajudou a começar projetos de pesquisa, até mesmo em nível europeu, como, por exemplo, um voltado para tumores cerebrais em crianças, no Hospital Niño Jesús.

Inclusão financeira, a chave para o desenvolvimento

É impossível ter desenvolvimento econômico enquanto houver pessoas sem acesso a serviços financeiros eficientes.