O que são os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU?

Hoje, Banco Santander, junto com mais de 125 bancos, assina os princípios de Banco Responsável para contribuir com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

A leitura vai levar 5 minutes

Hoje, Banco Santander, junto com mais de 125 bancos, assina os princípios de Banco Responsável para contribuir com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, em seu compromisso por um futuro sustentável e inclusivo.


Erradicar a pobreza, promover a prosperidade e o bem-estar de todos e proteger o meio ambiente. Esses são os grandes indicadores que norteiam o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, lançados pela ONU. Tarefa à qual empresas como o Banco Santander se uniram para contribuir para a sua conquista e garantir o desenvolvimento de sua atividade de forma sustentável.

Todo mundo já ouviu alguém se referir sobre isso ou aquilo ser considerado sustentável. Hoje, estamos plenamente conscientes do significado desse adjetivo, mas nem sempre foi assim. De fato, não foi até a década de 1990, quando o mundo começou a ouvir sobre o conceito de desenvolvimento sustentável, entendido como aquele desenvolvimento capaz de atender às necessidades do presente sem comprometer a capacidade de alcança-las nas gerações futuras.

Por isso, após uma década de conferências e cúpulas das Nações Unidas, em setembro de 2000, os líderes mundiais se reuniram em Nova York para adotar a Declaração do Milênio das Nações Unidas (ONU), em que se comprometiam a uma nova aliança para reduzir a pobreza extrema. Para isso, foram estabelecidos 8 objetivos, tendo 2015 como prazo final, conhecido como Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM). Entre eles estavam a promoção da igualdade de gênero, o alcance da educação primária universal, a erradicação da fome e a sustentabilidade ambiental.

Reunidos 15 anos depois, os países signatários provaram que, através do esforço conjunto de governos, comunidade internacional, sociedade e empresas privadas, houve avanços importantes, como a redução em mais de 50% do número de pessoas que vivem em extrema pobreza, diminuição da porcentagem de pessoas com nutrição insuficiente nas regiões em desenvolvimento e o aumento do número de pessoas de classe média que vivem com mais de 4 dólares por dia.

Apesar disso, ainda havia um longo caminho a percorrer…

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, um desafio cada vez mais necessário e global

Portanto, naquele mesmo ano, mais de 150 chefes de Estado e de Governo se reuniram na histórica Cúpula de Desenvolvimento Sustentável, em que se aprovou a Agenda 2030 foi aprovada, na qual os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estão enquadrados.

Tratam-se de 17 medidas formuladas para erradicar a pobreza, promover a prosperidade e o bem-estar de todos, proteger o meio ambiente e enfrentar as mudanças climáticas globais, com o compromisso de atingir esses objetivos até 2025, no máximo.

As Nações Unidas definem esses 17 objetivos como o “plano diretor para alcançar um futuro sustentável para todos, pois incorporam desafios globais que enfrentamos todos os dias, como pobreza, desigualdade, o clima, degradação ambiental, prosperidade, paz ou justiça”.

836 milhões de pessoas vivem em extrema pobreza, mais de um terço da comida mundial é desperdiçada ou mais de 40% da população não têm acesso à água potável de qualidade. São números que a ONU oferece e demonstram, mais uma vez, que ainda há muito a ser feito e que, agora mais do que nunca, é necessário o compromisso de todos para transformar o mundo em que vivemos.

Banco Santander: desenvolvimento sustentável como carro-chefe

Se o setor privado foi uma das peças-chave para alcançar o progresso com relação às Metas de Desenvolvimento do Milênio, nesse caso, não poderia ser menor.

Assim, cientes da importância desse compromisso, muitas empresas aderiram a essa iniciativa para contribuir com esses objetivos e garantir o desenvolvimento de suas atividades de forma sustentável. É o caso do Banco Santander.

A entidade presidida por Ana Botín definiu 10 metas como banco responsável a serem cumpridas ​​até 2025, como uma forma de compromisso para alcançar esses objetivos:

    1. Ser uma das 10 melhores empresas para trabalhar em pelo menos seis das principais regiões geográficas em que atua, em 2021.
    2. Atingir a presença de mulheres no conselho de administração entre 40 e 60% em 2021, atraindo, desenvolvendo e retendo os melhores talentos para formar uma equipe diversificada e inclusiva.
    3. Ter pelo menos 30% de mulheres em cargos executivos.
    4. Atingir a igualdade salarial entre homens e mulheres em 2025, com o objetivo de estabelecer uma estrutura salarial equitativa.
    5. Inclusão financeira de 10 milhões de pessoas entre    2019 e 2025, fornecendo acesso a produtos e serviços financeiros personalizados e melhorando seu conhecimento financeiro por meio da educação.
    6. Facilitar a mobilização de 120 bilhões de euros de 2019 a 2025, e 222.000 entre 2019 e 2030 em financiamento verde para ajudar a combater as mudanças climáticas.
    7. Garantir que 100% da energia utilizada pela entidade seja proveniente de fontes renováveis ​​em países onde é possível conhecer a fonte de eletricidade.
    8. Eliminar todo o plástico descartável desnecessário em suas filiais e edifícios corporativos até 2021.
    9. A concessão de 200.000 bolsas de estudo, estágios e programas de empreendedorismo entre 2019 e 2021, como exemplo de sua compreensão sobre a educação como base de uma sociedade justa e de uma economia forte.
    10. Ajudar quatro milhões de pessoas por meio de diferentes programas de ação social nas comunidades onde o Banco opera, no período entre 2019 e 2021.

Princípios de Banco Responsável: a bússola que guia sua atividade

Esses 10 objetivos estão incluídos nos Princípios do Banco Responsável, elaborados pela Iniciativa Financeira do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, e dos quais o Banco Santander é um dos membros fundadores. Nos próximos dias, esses princípios serão formalmente assinados, estabelecendo o padrão global do que significa ser um banco responsável e garantindo que gerem valor para seus acionistas e para a sociedade em geral.

Um padrão de banco responsável que a empresa já valoriza, graças às medidas e iniciativas implementadas nos últimos anos com esse objetivo. E, como explicado por Lara de Mesa, responsável pelo Banco Responsável da entidade, “estamos trabalhando para ter uma cultura sólida: contar com uma equipe comprometida, diversa e capacitada que ofereça aos nossos clientes soluções para suas necessidades, aumentando o acesso a serviços financeiros; melhorando a educação e a formação financeira; apoiando nossos clientes na transição para uma economia verdee reduzindo nossa pegada ambiental“.

O Banco Santander foi reconhecido como o banco mais sustentáveis ​​do mundo, ocupando o primeiro lugar dos bancos globais no Dow Jones Sustainability Index. Um reconhecimento alcançado graças a uma firme convicção e um forte compromisso, conforme define a presidente da entidade, Ana Botín: “Devemos usar nossa posição, como um dos maiores bancos do mundo, para ajudar mais pessoas e empresas a progredir, e para gerar benefícios como uma missão, o que significa desempenhar o papel de apoiar o crescimento inclusivo e sustentável em todo o mundo“.

Santander: uma das 10 melhores empresas onde trabalhar

O Banco Santander colocou seu funcionário em um lugar de destaque dentro dos seus compromissos para liderar o alcance dessas metas. Segundo os responsáveis da companhia “quanto maior seja a motivação dos funcionários, maior será seu compromisso para contribuir para o progresso das pessoas e das empresas. Com equipes comprometidas, diversas, inclusivas e justas impulsamos um crescimento sustentável e cumprimos com nossa missão de contribuir ao progressos das pessoas, da sociedade e das empresas”. Por isso o talento, o compromisso e a motivação sejam entendido como a base do sucesso da companhia.

Um caminho que já tem uma trajetória e que começou a dar frutos, já que, em 2018 a companhia recebeu o certificado Top Employer Europe, que reconhece a excelência nas condições que os empregadores criam para seus profissionais e sua contribuição ao desenvolvimento pessoal e profissional. O Grupo recebeu este certificado em nove geografias nas que opera: Espanha, Polônia, Grã-Bretanha e nas unidades de Santander Consumer Finance na Áustria, Bélgica, Alemanha, Itália, Holanda e Polônia.

Além disso, no ano passado, o Banco Santander foi reconhecido como uma das melhores entidades financeiras para trabalhar na América Latina; obteve o posto 20 do Ranking de Mejores Multinaciones; e se situou como a terceira entidade financeira melhor conceituada graças as posições obtidas na Argentina, Brasil e Chile.

Hoje, Banco Santander, junto com mais de 125 bancos, assina os princípios de Banco Responsável para contribuir com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, em seu compromisso por um futuro sustentável e inclusivo.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Serviços bancários inclusivos: como a tecnologia está eliminando o hiato

Ter acesso a serviços financeiros eficaz é crucial para o desenvolvimento econômico, além de ser um elemento importante nos esforços para erradicar a pobreza. 

Apoio econômico, fundamental para a pesquisa oncológica

A Fundação Intheos ajudou a começar projetos de pesquisa, até mesmo em nível europeu, como, por exemplo, um voltado para tumores cerebrais em crianças, no Hospital Niño Jesús.

Inclusão financeira, a chave para o desenvolvimento

É impossível ter desenvolvimento econômico enquanto houver pessoas sem acesso a serviços financeiros eficientes.