Estimular a mente das crianças com síndrome de Down através de jogo terapêutico

Animal Hero ajuda as crianças a fortalecer habilidades cognitivas, como memória, atenção sustentada e dividida e funções executivas.

A leitura vai levar 3 minutes

Animal Hero ajuda as crianças a fortalecer habilidades cognitivas, como memória, atenção sustentada e dividida e funções executivas. Para continuar crescendo, lançou uma campanha de crowdfunding.


O professor Óscar García Panella e suas alunas Silvia Quera, Yolanda Peregrín e Alba Bosacoma, criaram, em 2014, um projeto terapêutico de videogame chamado Animal Hero voltado a crianças a partir de oito anos com Síndrome de Down.

“O Animal Hero surge depois de conhecer as conclusões de um estudo científico de Mara Dierssen Sotos, no qual o extrato de chá verde está relacionado à estimulação cognitiva. Com o primeiro teste, percebemos que as crianças estavam entediadas com a estimulação usual porque pensavam que estavam fazendo dever de casa”, explica Quera, agora, gerente do projeto.

É nesse momento que seu professor, García Panella, se envolve com a ideia e sugere às suas alunas que procurem uma maneira mais “lúdica e divertida” de estimular a mente das crianças com Síndrome de Down.

Com boa expectativa de futuro, em 2017, seu projeto foi selecionado para participar do Programa Explorer, Jovens com Ideias, promovido pelo Banco Santander em conjunto com o Centro Internacional Santander de Empreendedorismo.

Agora, para continuar crescendo e concluir o primeiro videogame de alta qualidade, eles lançaram uma campanha de crowdfunding. “Queremos oferecer o melhor e dedicar todo o nosso tempo a isso. Nossos recursos são limitados e precisamos da ajuda e do apoio da comunidade para realizar esse sonho. Por esse motivo, decidimos fazer essa campanha”, diz Quera.

Até o momento, foram levantados quase 3.000 euros e esperam chegar a 15.000, quando a campanha terminar. As doações podem ser feitas através da plataforma Kickstarter e variam de 10 a 2.000 euros. Dependendo do valor total arrecadado, haverá mais ou menos compensações quando o produto final ficar pronto.

A necessidade de educação empresarial

Depois de criar o primeiro videogame piloto, em 2014, e constatar que recebia ótimas críticas, ao concluir a universidade, Silvia, Yolanda e Alba entenderam que deveriam terminar o Animal Hero. No entanto, elas sabiam que precisavam de ajuda específica para aprender sobre o mundo do empreendedorismo e, assim, criar um plano e estratégia de negócios.

Um conhecimento adquirido através do programa Explorer do Banco Santander. Especificamente, elas receberam mentoring, por cinco meses, no Explorer Space da Universidade de Girona. “Eles nos ajudaram e nos formaram muito bem. Graças a isso, o Animal Hero ainda está vivo e conseguimos ganhar prêmios e bolsas de estudo, como a “Aproveite a Qualidade Pascual”, dotada de 20.000 euros. Foi uma grande conquista porque o Animal Hero venceu entre 800 projetos”, diz Silvia. Com esse prêmio, elas foram capazes de refazer o protótipo da demo do videogame.

O objetivo do Banco Santander, por meio de seu programa Explorer, Jovens com Ideias, é reconhecer o grande esforço e talento dos mais brilhantes jovens empreendedores

Também, como parte do seu programa de formação pelo Explorer, em 2017, Silvia viajou, em nome de toda a sua equipe, para o centro nervoso do empreendedorismo, o Vale do Silício.

“Foi uma experiência incrível, é como outro mundo. Fomos ao Facebook, Google e às grandes empresas de tecnologia, aquelas que você acha que estão distantes da realidade. Gostei muito de tudo, mas o que mais me chamou a atenção foi sobre cometer erros. Lá, se você falha em um projeto, tudo bem. Por aqui, lidamos muito mal com isso, porque procuramos encobrir os erros. No Vale do Silício, falhar e tentar novamente não é um fracasso, você é considerado um empreendedor e um empreendedor com ímpeto”, diz ela.

Entre outras coisas, Silvia Quera também valoriza o componente social da viagem e a importância de conhecer outros jovens como ela, que têm as mesmas ilusões e ideias e que até contribuem para melhorar os projetos dos demais participantes.

O Explorer já ajudou mais de 6.000 jovens

O objetivo do Banco Santander, por meio de seu programa Explorer, Jovens com Ideias, é reconhecer o grande esforço e talento dos mais brilhantes jovens empreendedores.

Nos seus nove anos de existência, mais de 6.000 jovens foram beneficiados e mais de 600 empresas foram criadas. Somente em 2019, 1.812 estudantes universitários receberam formação e assessoria.

É claro que, neste ano, em 30 de outubro, outros 54 novos empreendedores terão a oportunidade de viajar ao Vale do Silício para se impregnar do caráter inovador dos melhores profissionais, com o objetivo e o sonho de que seus projetos e ideias se tornem realidade.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Serviços bancários inclusivos: como a tecnologia está eliminando o hiato

Ter acesso a serviços financeiros eficaz é crucial para o desenvolvimento econômico, além de ser um elemento importante nos esforços para erradicar a pobreza. 

Apoio econômico, fundamental para a pesquisa oncológica

A Fundação Intheos ajudou a começar projetos de pesquisa, até mesmo em nível europeu, como, por exemplo, um voltado para tumores cerebrais em crianças, no Hospital Niño Jesús.

Inclusão financeira, a chave para o desenvolvimento

É impossível ter desenvolvimento econômico enquanto houver pessoas sem acesso a serviços financeiros eficientes.