Contribuir contra o câncer de mama com o arredondamento solidário

Banco Santander lançou o Arredondamento Digital Solidário, que permite que seus clientes arredondem o valor das suas compras para destina-lo à Associação Espanhola Contra o Câncer.

A leitura vai levar 2 minutes

Por ocasião do Dia Mundial Contra o Câncer de Mama, celebrado em 19 de outubro, o Banco Santander lançou o Arredondamento Digital Solidário, que permite que seus clientes arredondem o valor das suas compras para destina-lo à Associação Espanhola Contra o Câncer.


Segundo a Associação Espanhola Contra o Câncer, 1 em cada 8 mulheres terá câncer de mama ao longo da vida. Ao ano, cerca de 33.300 novos casos são diagnosticados no país. No entanto, embora seja uma doença cada vez mais frequente, a porcentagem de expectativa de vida e melhora também é maior. Mais propriamente, entre 80 e 85% dos pacientes o superam, de acordo com a Associação.

Portanto, embora o trabalho diário dos pesquisadores seja extremamente exaustivo, mais do que nunca é necessário destacar o compromisso que instituições, empresas e sociedade devem ter no combate à doença e a importância de investigá-la e diagnosticá-la a tempo.

Assim, são lançadas muitas iniciativas para contribuir com pesquisas sobre o câncer de mama. Por exemplo, este ano, o Banco Santander e a Associação Espanhola Contra o Câncer (AECC) assinaram um acordo de colaboração através do qual a entidade enviará um valor mensal proveniente dos clientes que aderiram à prática do arredondamento solidário.

Portanto, eles podem converter seu cartão de crédito ou débito em solidariedade. Isso significa que toda vez que fizerem uma compra, terão a opção de arredondar o preço final. Por exemplo, se em um supermercado o preço da compra é 39,60 euros, os 40 centavos arredondados aos 40 euros vão para a Associação Espanhola Contra o Câncer (AECC). Embora possa parecer uma quantia mínima, a contribuição de milhares e milhares de clientes contribui com grandes quantias.

É o próprio cliente quem define o valor máximo por cartão, que varia entre 1 e 3 euros por mês. Aqueles que doem e o solicitem, receberá um certificado de doações da AECC para inclusão no IRPF.

Os recursos arrecadados serão destinados ao “Programa de Atenção Integral à Mulher com Câncer de Mama” da AECC, graças ao qual recebem, de forma gratuita, atendimento psicológico especializado, social e tratamento de linfedema (inchaço de partes do corpo devido ao acúmulo de fluido nos tecidos moles). Além disso, participam de uma série de atividades de apoio que as ajudam superar a doença.

A iniciativa do Banco Santander faz parte do projeto Geração 81, o principal programa da entidade que demonstra seu compromisso com as mulheres e a igualdade de oportunidades, por meio de formação, promoção de sua carreira profissional, incentivo ao empreendedorismo e ajudando a conciliação entre gerenciamento de tempo, trabalho, finanças, saúde e família.

O Banco Santander já possui um projeto de solidariedade permanente por meio do Openbank, a entidade 100% digital do Grupo, que opera da mesma forma que o acordo com a AECC. É um cartão de débito gratuito que faz contribuições para a organização que o cliente escolher. Entre as ONGs com as quais se pode colaborar estão o ACNUR, Ação contra a Fome, Cruz Vermelha, Fundação Theodora ou Save the Children.

A Associação Espanhola Contra o Câncer é a referência na luta contra esta doença brutal, há 66 anos. É composto por pacientes, familiares, voluntários e profissionais que trabalham juntos para prevenir, sensibilizar, acompanhar os doentes e financiar programas de pesquisa de câncer que melhorem o diagnóstico e o tratamento do câncer. No total, no ano passado, eles atenderam 490.981 pessoas, das quais 12.000 eram mulheres com um tumor na mama.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Serviços bancários inclusivos: como a tecnologia está eliminando o hiato

Ter acesso a serviços financeiros eficaz é crucial para o desenvolvimento econômico, além de ser um elemento importante nos esforços para erradicar a pobreza. 

Apoio econômico, fundamental para a pesquisa oncológica

A Fundação Intheos ajudou a começar projetos de pesquisa, até mesmo em nível europeu, como, por exemplo, um voltado para tumores cerebrais em crianças, no Hospital Niño Jesús.

Inclusão financeira, a chave para o desenvolvimento

É impossível ter desenvolvimento econômico enquanto houver pessoas sem acesso a serviços financeiros eficientes.